Mulher que ofendeu Titi diz ter vídeo de Anitta e Thaila Ayala consumindo drogas

 

Após ofender Titi, a filha adotiva de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, a mulher que diz se chamar Day McCarthy e se apresenta na internet como uma socialite resolveu acusar a cantora Anitta e a atriz Thaila Ayala (foto acima, de “Pica-Pau: O Filme”) de cheirar cocaína. Ela afirmou nas redes sociais ter vídeos que comprovam a acusação.

“Anitta cheira pó, sim! Cheirou pó na minha frente, eu ainda filmei, sem querer. E se me irritar muito eu posto o vídeo mesmo”, ameaçou. “A única pessoa que eu posso provar que realmente cheira pó é só a Thaila Ayala e a Anitta. O resto eu não sei se fuma ou não, eu não posso provar. Eu só falo o que eu realmente tenho provas”, disse.

Day McCarthy, cujo nome verdadeiro é Dayane Alcântara Couto de Andrade, já teve a conta no Instagram suspensa por ofensas pessoais e, segundo apurou a revista Veja, chegou a ser presa em 2015 nos EUA por envolvimento com prostituição. Os novos posts ficaram inacessíveis após ela ter novamente as contas bloqueada em todas as redes sociais.

Diante dos novos surtos, diversas petições foram criadas na internet para a Justiça brasileira agir contra Dayane.

Anitta e Thaila também se manifestaram.

“Gostaria de manifestar minha revolta em relação a essas acusações mentirosas a meu respeito sobre um suposto vídeo que obviamente não existe. É absurdo que essa mentira se sobreponha a um crime de racismo cometido contra uma criança. Por favor, vamos parar de dar atenção e espaço a esse tipo de atitude inconsequente e irresponsável”, disse Thaila, que publicou sua mensagem no Instagram, junto de uma foto de Titi, Giovanna e Bruno.

“Me solidarizo profundamente com todos que vêm sofrendo esse tipo de ataque virtual. Vamos focar nossos esforços contra todo tipo de preconceito, homofobia e racismo. Por mais amor e menos discursos de ódio”, completou.

A assessoria de Anitta seguiu o mesmo tom. “A cantora lamenta profundamente que calúnias absurdas a seu respeito provenientes de correntes de seguidores e likes em redes sociais possam tirar o foco do preconceito, do crime repugnante de racismo e homofobia praticado contra criança”.

A cantora e Thaila não informaram se pretendem processá-la por calúnia e difamação, mas Bruno Gagliasso registrou queixa criminal contra Dayane na segunda-feira (27/11) e, se condenada, ela pode pegar de 1 a 3 anos de prisão pelo crime de injúria racial.

Nesta terça-feira, Bruno e Giovanna usaram as redes sociais para agradecer o apoio de amigos e fãs à Titi, após as ofensas racistas. “Estamos fortes e determinados em seguir fazendo o que é certo e buscar justiça. Não foi a primeira vez que passamos por isso, certamente não será a última, e sabemos que como a nossa filha, milhares de outras pessoas são vítimas de agressões e preconceitos diariamente nesse país. Estamos juntos nessa luta. Obrigado por todo apoio. Vamos até o fim por amor, respeito e igualdade racial”, publicaram.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.

Back to site top
Change privacy settings