Ten Days in the Valley é primeira série da temporada a ter cancelamento “agendado”



“Ten Days in the Valley” é a primeira série estreante da temporada a ter um “cancelamento agendado”. Devido à baixa audiência, o programa foi retirado dos domingos e passará a ser exibido aos sábados, dia em que tradicionalmente não há séries na TV aberta americana.

O episódio mais recente foi assistido por 2,2 milhões de telespectadores e marcou apenas 0,4 ponto na demo, consagrando como “Ten Days in the Valley” como o programa menos visto da TV americana no domingo passado (22/10).

Além de tirar a produção do domingo, a rede ABC pretende se livrar rapidamente dela, exibindo dois episódios a cada sábado e durante o período de fim de ano, quando as demais séries entrarão em pausa. Assim, todos os capítulos produzidos acabarão no dia 6 de janeiro.



Depois disso, fim. O canal não encomendará novos episódios para uma série que não atraiu o público. Restará apenas o detalhe do anúncio oficial de cancelamento.

Criada por Tassie Cameron (que criou a bem-sucedida série canadense “Rookie Blue”), a série mistura suspense e trama novelesca, e marca a volta de Kyra Sedgwick à TV após cinco anos. A atriz, que estrelou a série policial “The Closer” por sete temporadas, vive na trama uma mãe solteira e produtora de televisão, que passa por um divórcio turbulento. Quando sua filha desaparece, seu mundo – e a controversa série policial que produz – implode. Para o detetive policial vivido por Adewale Akinnuoye-Agbaje (“Esquadrão Suicida”), os demais roteiristas da série são suspeitos, assim como o ex-marido e todos que possuem acesso à residência. Aos poucos, fica claro que todos possuem segredos e ninguém é confiável.

O elenco ainda inclui Erika Christensen (série “Parenthood”), Kick Gurry (“No Limite do Amanhã”), Josh Randall (série “Quarry”), Malcolm-Jamal Warner (série “Major Crimes”), Felix Solis (série “The Colony”), Ali Liebert (série “Strange Empire”), Emily Kinney (série “The Walking Dead”) e a menina Abigail Pniowsky (“A Chegada”).


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings