Saiba como começou a tradição das cenas pós-créditos nos filmes da Marvel



O Universo Cinematográfico da Marvel costuma ser evocado como referência pela forma como expandiu o conceito de franquias, mas os filmes do estúdio também tiveram outra grande influência na produção cinematográfica recente: a popularização das cenas pós-créditos.

Mas tudo começou, quem diria, com John Hughes. Ou melhor, com o jovem Kevin Feige assistindo no cinema “Curtindo a Vida Adoidado” (1986), o clássico adolescentes de Hughes. Em uma entrevista para o site SlashFilm, o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, revelou ter ficado encantado com a primeira cena pós-crédito que viu na vida, em que Matthew Broderick aparecia para avisar a quem ainda estava no cinema que o filme tinha acabado.

“Eu sempre gostei desse tipo de coisa quando o vi em ‘Curtindo a Vida Adoidado’ e depois em ‘Mestres do Universo’ (1987). Como um apaixonado por filmes, eu nunca queria que eles acabassem. Eu não queria que a experiência de estar em um cinema acabasse, não importando se o filme era bom ou ruim. Eu sempre ficava até os créditos acabarem e minha mãe me acompanhava. Eu lia todos os nomes e tudo que cada um fazia. Quando chegava no meio dos créditos eu chegava a pensar ‘Será que devo ir ou será que vai ter algo a mais nesse filme? Talvez tenha, vou ficar’. Mas nunca tinha”.

E ele se lembrou desse sentimento na hora de decidir o que fazer com o vazamento da curta aparição de Samuel L. Jackson no primeiro “Homem de Ferro” (2008).



“A ideia de ter Samuel L. Jackson como Nick Fury surgiu na produção. Samuel L. Jackson estava disposto a fazer o papel, então gravamos secretamente. A cena vazou no outro dia. Com isso, a gente achou que colocar essa cena no meio do filme poderia ser um ponto de distração. Foi aí que decidimos colocar ela no final dos créditos para retribuir às pessoas que, exatamente como eu, esperavam os créditos acabarem. Se você ficasse até o final saberia quem era o Nick Fury e qual o significado dele no universo Marvel”.

A cena acabou se tornando muito mais comentada por aparecer no fim do filme, dando início a uma tradição.

“A partir disso, virou uma tradição. Às vezes, nós temos a cena pós-crédito pronta durante o desenvolvimento do filme, às vezes durante a produção e às vezes ela só aparece na pós-produção”.

Aos poucos, o conceito acabou sendo extrapolado para duas cenas pós-créditos. Depois, três. Até que “Guardiões da Galáxia Vol. 2”, sucesso mais recente do estúdio, inclui nada menos que quatro cenas pós-créditos. Ou melhor, cinco, contando uma exibida durante os próprios créditos.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings