Série com atores dos Jovens Titãs vai lançar “Netflix” da DC Comics

A Warner anunciou que vai lançar um serviço de streaming focado nas séries da DC Comics a partir de 2018. E para inaugurar sua “Netflix”, já prepara uma série “live action” (com atores) dos “Jovens Titãs”, além de uma temporada inédita da animação “Justiça Jovem”.

Intitulada “Titans”, a série terá em sua formação Dick Grayson (o release não informa se como Robin ou Asa Noturna), Estelar, Ravena e outros que serão confirmados. Em seu Twitter, o produtor Geoff Johns acrescentou mais um nome à turma: Mutano. É quase a formação do desenho animado do Cartoon Network, “Os Jovens Titãs em Ação”.

“‘Titans’ segue um grupo de jovens super-heróis que serão recrutados em todos os cantos do Universo DC”, diz o comunicado de imprensa da Warner Bros. “Nesta série cheia de ação, Dick Grayson emerge das sombras para se tornar o líder de um grupo destemido de novos heróis, incluindo Estelar, Ravena e muitos outros. ‘Titans’ é uma série dramática série de aventuras que vai explorar e comemorar uma das mais populares equipes de quadrinhos de todos os tempos”.

A ideia de recrutar heróis “em todos os cantos do Universo DC” faz lembrar que as séries da rede CW já apresentaram Titãs originais dos quadrinhos: Arsenal e Kid Flash. Os dois foram membros fundadores da chamada “Turma Titã”, ainda nos anos 1960. Uma integrante ainda mais recente do grupo também andou aparecendo em episódios de “Supergirl”: a Miss Marte. Entretanto, a personagem foi retratada bem mais velha que nas publicações.

De todo modo, a formação listada pelos produtores é a dos “Novos Titãs”, que foi popularizada nos anos 1980, e ainda não deu as caras na televisão.

O nome do grupo e a formação dos Titãs variaram muito durante os anos.

A “Turma Titã” original foi criada pelo roteirista Bob Haney em 1964, quando ele juntou Robin, Kid Flash e Aqualad, os parceiros adolescentes de Batman, Flash e Aquaman, numa mesma aventura. Foi um sucesso e eles voltaram a se reunir mais duas vezes antes de decidirem formar um grupo de heróis adolescentes para combater o crime, adotando o nome “Turma Titã”.

Os Titãs clássicos também incluíam Ricardito e a Moça-Maravilha, que com o tempo viraram Arsenal e Troia. Robin também mudou sua identidade para Asa Norturna nos anos 1980, quando a própria Turma Titã virou os Novos Titãs, numa fase em que a equipe trazia ainda Ciborgue, Ravena, Estelar e Mutano. Mas, anos depois, a equipe original voltou a se reunir sob o nome simplificado de Titãs, o mesmo escolhido para a série.

A atração está sendo desenvolvida pelo superestimado roteirista Akiva Goldsman (das bombas “Um Conto do Destino”, “A Série Divergente: Insurgente”, “A 5ª Onda” e “O Chamado 3”) e a dupla Geoff Johns e Greg Berlanti. Johns é o diretor da DC Entertainment e Berlanti o produtor de todas as séries da DC Comics exibidas na rede CW. Os dois também criaram juntos a série “The Flash”.

“Titãs” será a segunda tentativa de transformar os heróis juvenis da DC Comics em série. O canal pago TNT chegou a encomendar um piloto, também intitulado “Titans”, mas acabou rejeitando o projeto no ano passado. O roteirista, por sinal, era o mesmo Akiva Goldsman.

A inclusão de Greg Berlanti, por outro lado, assinala que houve revisão no conceito e a série de streaming estará conectada ao “Arrowverso” da rede CW – como aconteceu com “Supergirl”, mesmo quando era exibida em outro canal.

Para completar a informação, a série animada “Justiça Jovem”, que teve duas ótimas temporadas no Cartoon Network, será relançada com o título “Young Justice: Outsiders” e uma nova aventura completa em sua 3ª temporada.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings