Diretor de A Maldição da Floresta assume o spin-off da freira de Invocação do Mal 2

 

O terror “The Nun”, projeto derivado de “Invocação do Mal 2” (2016), definiu seu diretor. O estúdio New Line Cinema contratou Corin Hardy, de “A Maldição da Floresta” (2016), para comandar o filme.

As filmagens vão começar já em março, com roteiro escrito pelo cineasta James Wan, diretor dos dois “Invocação do Mal”, em parceria com Gary Dauberman, que escreveu o primeiro spin-off da franquia, “Annabelle” (2014).

Segundo apurou o site The Hollywood Reporter, a freira demoníaca foi inserida na trama de “Invocação do Mal 2” numa última versão do roteiro, durante as filmagens. O diretor James Wan chegou a rodar uma primeira versão do filme em que o antagonista de Lorraine (Vera Farmiga) e Ed Warren (Patrick Wilson) era uma figura com chifres. Insatisfeito, ele “teve um momento de iluminação” e decidiu mudar o conceito para uma freira, o que acarretou filmagens adicionais – realizadas em março, três meses antes da estreia. O investimento não só valeu a pena, pelo sucesso de “Invocação do Mal 2”, como agora vai render um filme novo, inteiramente dedicado à personagem improvisada.

Os dois “Invocação do Mal” mais o primeiro “Annabelle” arrecadaram juntos quase US$ 1 bilhão em bilheteria mundial, algo realmente assustador para uma franquia de terror. E, além do filme da freira, uma continuação de “Annabelle” chegará aos cinemas em agosto.

Corin Hardy quase caiu numa maldição de verdade nos últimos meses, quando esteve associado à refilmagem de “O Corvo” (1994). Este projeto está sendo produzido há uma década sem conseguir sair do papel, perdendo diretores, roteiristas e atores à torto e a direito. Brandon Lee (filho de Bruce Lee) morreu durante as filmagens do longa original e todos os projetos associados à franquia fracassaram desde então. Como o remake voltou a cair no limbo com a desistência do ator Jason Momoa (“Liga da Justiça”), Hardy ficou com a agenda livre para reencontrar a religião, no filme da freira maldita.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings