Série Preacher é renovada para a 2ª temporada


O canal pago AMC renovou “Preacher” para a sua 2ª temporada, que terá três episódios a mais em seu retorno. A adaptação dos quadrinhos da Vertigo (divisão adulta da DC Comics) é a segunda série nova mais vista da TV paga americana em 2016, com média de 3,3 milhões de telespectadores por episódio em todas as plataformas.

Apesar disso, se trata de uma audiência em queda, que perde público a cada novo capítulo exibido. Isto pode ser explicado pela forma intrincada, quase surreal, com que a história está sendo apresentada na TV. Vale lembrar que os quadrinhos originais, de Garth Ennis e Steve Dillon, são muito mais claros, além de contar uma história diferente. Na verdade, a série chega a lembrar “John from Cincinnati”, do HBO, que também combinava uma abordagem bizarra-conceitual com anjos e elementos inexplicáveis, e acabou cancelada precocemente.

O ator Dominic Cooper (série “Agent Carter”) vive o protagonista, um pastor que é atingido por um raio (na verdade, uma entidade vinda dos céus), que lhe confere a capacidade de ser ouvido e obedecido por todos, mas também o torna alvo dos burocratas do Céu. Em busca de respostas, o pastor Jesse Cutler se junta ao vampiro bêbado Cassidy e a sua ex-namorada pistoleira Tulip. Mas enquanto a trama dos quadrinhos conduz a uma jornada que cruza o interior dos EUA em busca de Deus, a série, atualmente na metade de sua temporada inaugural, ainda não saiu da cidadezinha do pastor.



A série foi desenvolvida pelo roteirista Sam Catlin (série “Breaking Bad”) em parceria com a dupla Seth Rogen e Evan Goldberg (“É o Fim” e “A Entrevista”). Rogen e Goldberg também dirigiram o piloto, além de produzirem a atração junto com Catlin e Neal H. Moritz (franquia “Velozes & Furiosos”).

A 1ª temporada de “Preacher” se encerra em 31 de julho, com a exibição de seu 10º episódio. A 2ª temporada terá 13 episódios, com estreia prevista para o começo de 2017.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings