Arte do encontro entre Supergirl e The Flash recria capa clássica de quadrinhos



Depois de incorporar uma história clássica de Superman no episódio “For The Girl Who Has Everything”, Supergirl volta a tomar lugar do Homem de Aço na campanha de divulgação de “World’s Finest”. A arte criada para promover o encontro entre Supergirl e Flash na série da rede CBS é uma recriação de uma famosa capa dos quadrinhos, em que Flash e Superman disputam para ver quem é o super-herói mais rápido da DC Comics. A arte original dos quadrinhos foi desenhada pelo mestre Curt Swan em 1967. Compare abaixo.

Vale lembrar, ainda, que o título do capítulo, “World’s Finest” (os melhores do mundo), também era o nome de uma revista de grandes duplas dos quadrinhos da DC, que tinha Batman e Superman como seus principais protagonistas.

A CBS também divulgou a sinopse do episódio, que revela que Flash e Supergirl não pertencem ao mesmo universo. O resumo diz que o Flash (Grant Gustin) surge de repente de um universo alternativo e ajuda Kara (Melissa Benoist) em sua batalha contra Siobhan, a Banshee Prateada, e o retorno da vilã Curto Circuito (Brit Morgan), em troca de seu auxílio para encontrar uma maneira de voltar para casa.


Ao que parece, os produtores vão utilizar o conceito do multiverso da DC para estabelecer que esses personagens não compartilham a mesma realidade. O que é estranho, considerando que Flash e Superman, o primo de Kara, estarão juntos no filme da Liga da Justiça. De todo modo, o conceito de que existe uma Terra 2 já foi introduzido na série “The Flash”. Esta configuração, porém, torna bem mais difícil um reencontro dos dois personagens no futuro. Como se já não fosse difícil para os dois se encontrarem, uma vez que suas séries são exibidas em emissoras diferentes nos EUA – “The Flash” passa na rede CW.

O episódio “World’s Finest” irá ao ar em 28 de março na rede americana CBS.

As séries “The Flash” e “Supergirl” são exibidas no Brasil pelo canal pago Warner.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings