Emma Stone, Denzel Washington e Netflix vencem o SAG Awards 2017

Emma Stone, Denzel Washington e Netflix vencem o SAG Awards 2017

 

O Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG, na sigla em inglês) realizou neste domingo (29/1) a edição anual de sua premiação, e apesar de confirmar o favoritismo de “La La Land” no Oscar 2017, com a vitória de Emma Stone como Melhor Atriz, o resultado surpreendeu por algumas escolhas inesperadas.

Uma espécie de onda afirmativa, de integração racial, passou como um tsunami sobre o evento, distribuindo quatro de seus cinco troféus de cinema para atores negros. Com isso, Casey Affleck, que vinha ganhando todos os prêmios de interpretação masculina por “Manchester à Beira-Mar”, e Ryan Gosling, o segundo mais premiado na mesma categoria, por “La La Land”, passaram em branco. Quem levou o SAG Award de Melhor Ator foi Denzel Washington por “Um Limite entre Nós” (Fences).

Criou-se assim um contraste. Enquanto Emma Stone começou sua “carreira” de Melhor Atriz do ano lá em setembro, ao conquistar a Copa Volpi no Festival de Veneza, e veio acumulando prêmios desde então, Denzel Washington atropelou na curva final e entrou só agora na disputa para valer pelo Oscar. O que é completamente inédito em relação ao comportamento dos eleitores do SAG neste século. Até então, o tédio marcava a premiação, que não passava de uma etapa de confirmação de quem já despontava como favorito rumo ao Oscar. Mas Denzel não levou nem sequer o Globo de Ouro, a estatueta mais fácil de ganhar dentre todas as premiações de Hollywood.

Os coadjuvantes, ao contrário, já vinham vencendo tudo. Viola Davis, a colega de Denzel em “Um Limite entre Nós”, é até mais favorita que Emma Stone ao Oscar, e Mahershala Ali tem sido o principal destaque do elenco de “Moonlight”. No SAG, ele demonstrou força ao derrotar seu principal concorrente, Jeff Bridges, por “A Qualquer Custo”.

Mais inusitado de todos os prêmios da noite, o troféu de Melhor Elenco de Cinema acabou indo para “Estrelas Além do Tempo”, o filme sobre as engenheiras negras da NASA, estrelado por Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe. Até o SAG, esta produção só tinha vencido prêmios regionais e de entidades dedicadas à valorizar artistas negros. Na pior das hipóteses, a conquista pode servir para desmistificar a importância do SAG Award de Melhor Elenco como termômetro do Oscar. A se conferir.

Nos prêmios televisivos, o tsunami foi da Netflix. O desequilíbrio foi tanto, que a plataforma de streaming venceu todos os troféus de séries dramáticas: John Lithgow e Claire Foy, ambos de “The Crown”, foram consagrados como Melhor Ator e Atriz, enquanto “Stranger Things” conquistou o troféu de Melhor Elenco – dando como brinde diversos memes das caretas de Winona Ryder. Para completar, a Netflix também ficou com o prêmio de Melhor Elenco de Série de Comédia, comemorado pelas inúmeras atrizes de “Orange Is the New Black”.

Confira abaixo as fotos dos vencedores e a lista completa dos premiados.

VENCEDORES DO SAG AWARDS 2017

CINEMA

MELHOR ATOR
Denzel Washington (“Um Limite Entre Nós”)

MELHOR ATRIZ
Emma Stone (“La La Land”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali (“Moonlight”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Viola Davis (“Um Limite Entre Nós”)

MELHOR ELENCO
“Estrelas Além do Tempo”

 
 
 
 
 
 
 
 
 

TELEVISÃO

MELHOR ATOR DE SÉRIE DE DRAMA
John Lithgow (“The Crown”)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE DE DRAMA
Claire Foy (“The Crown”)

MELHOR ELENCO DE SÉRIE DE DRAMA
“Stranger Things”

MELHOR ATOR DE SÉRIE DE COMÉDIA
William H. Macy (“Shameless”)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE DE COMÉDIA
Julia Louis-Dreyfus (“Veep”)

MELHOR ELENCO DE SÉRIE DE COMÉDIA
“Orange Is the New Black”

MELHOR ATOR DE TELEFILME OU MINISSÉRIE
Bryan Cranston (“Até o Fim”)

MELHOR ATRIZ DE TELEFILME OU MINISSÉRIE
Sarah Paulson (“The People v O.J. Simpson: American Crime Story”)

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna