YouTube/Record TV

A Fazenda | Rachel fala da expulsão pela primeira vez: “Reação de defesa”

Rachel Sheherazade falou sobre sua expulsão em “A Fazenda 15” na primeira entrevista após sair do reality da Record TV. Durante uma live com Lucas Selfie, na noite desta sexta (20/10), ela deu sua visão de seu confronto com Jenny Miranda, tratando a adversária com adjetivos negativos.

A jornalista descreveu o incidente como uma “reação de defesa” a um ataque iminente, ressaltando a postura agressiva de Jenny: “Foi uma reação de defesa contra um ataque que seria feito contra mim. A Jenny é descontrolada, imprevisível, agressiva por natureza, de um porte físico superior ao meu, raivosa”. E acrescentou: “Ela veio pra cima de mim com todo aquele ódio, aquela massa dela, aquele corpão dela, aquela boca aberta. E a reação é instantânea, é instintiva, é animal isso. Você tenta se proteger. O que eu fiz? Eu não esmurrei ninguém, até porque eu não tenho condições, olha [o tamanho d]o meu braço, olha minha complexão física, olha a minha idade”.

Ela seguiu: “É uma pessoa de 50 anos contra uma menina de 20 e poucos anos [Jenny tem 36 anos], que tem 4 vezes o meu tamanho e que veio com toda aquela agressividade, toda aquela raiva contra mim, aquele histórico de agressividade… E ela vem e coloca o corpo contra mim, e eu contra a parede. O que eu fiz? Eu coloquei minha mão entre mim e ela”.

A ex-peoa também chamou Jenny de tirana, afirmando que ela teria agido de forma ditatorial ao assumir o chapéu de Fazendeira.

 

Como tudo aconteceu, segundo Rachel

A raiz do conflito foram as tarefas designadas por Jenny como Fazendeira da semana. Rachel expressou descontentamento com a atribuição de tarefas, que a colocou como responsável pelo trato das ovelhas, criticando a utilização do trato dos animais como meio de punição: “Na minha cabeça, eu não podia baixar a cabeça pra tirania da Jenny e eu não estava de acordo com ela usar o trato dos animais como punição”.

Além do confronto, Rachel afirmou que sua saúde física foi um fator contribuinte para sua relutância em cumprir as tarefas designadas. Ela mencionou a falta de consideração de Jenny ao não permitir que os peões escolhessem suas tarefas, uma prática que, segundo ela, era comum em semanas anteriores. Rachel criticou Jenny por não colocar um aliado na função, já que vários estavam sem fazer nada, e utilizar o cargo de Fazendeira para punir adversários: “O plano era me punir. Na verdade, na cabeça da Jenny, ser fazendeira era para poder punir os adversários”.

Explicando porque não baixaria a cabeça, disse: “Eu me reconheço como uma mulher corajosa, que enfrenta poderosos”.

 

“Ceifou o meu sonho”

Após assistir ao vídeo de sua expulsão, Rachel lamentou sua reação, mas reiterou a postura defensiva, destacando o comportamento provocativo de Jenny em outras ocasiões dentro do reality para desestabilizar os participantes e provocar expulsões.

Após e expulsão, ela espera nunca mais ver a rival. “Não quero amizade com ela, jamais quereria. É uma pessoa de valores totalmente opostos aos meus, me fez sofrer, acabou com meu sonho e com o sonho dos meus filhos. Ela ceifou o meu sonho e me tirou a oportunidade de concorrer ao prêmio. Perdoo tudo que ela fez, mas não esqueço”, admitiu.

Esta foi a versão de Rachel, que, segundo a imprensa, pode tentar carreira política após a exposição no reality.

A maioria esmagadora do público já concordava com esses argumentos antes mesmo de Rachel pronunciá-los. Mas há nuances.

 

É tirania ou jogo?

No começo da entrevista, Rachel contou para Lucas Selfie que, para se preparar para o confinamento, maratonou as últimas edições de “A Fazenda”, especialmente o reality do ano passado. Portanto, sabia que era costume no reality o Fazendeiro usar o chapéu para punir os adversários com funções difíceis. Não faltaram exemplos disso em “A Fazenda 14”, com destaque para uma delegação de Lucas Santos, que humilhou Ruivinha de Marte. Mesmo na edição mais polêmica, nenhum peão se recusou a cumprir as tarefas.

O costume de o Fazendeiro usar o cargo para punir adversários não foi inaugurado por Jenny Miranda, sendo já uma tradição no reality show.

A “Fazenda 14” também foi exemplar em casos de tentativas de desestabilização, com direito aos temidos cuspes que Rachel gosta de citar. Num dos confrontos mais graves, Tiago Ramos e Shayan Haghbin foram expulsos simultaneamente por ação e reação. Além disso, Deolane Bezerra ganhou popularidade justamente por sua postura violenta, de bullying permanente contra os adversários durante toda a edição, sempre buscando se aproximar dos adversários para cavar um gesto agressivo. Barbara Borges, a Babi, venceu o reality por ter o sangue frio que faltou a Rachel.

Jenny parece ter estudado “A Fazenda 14” melhor que Rachel. Entretanto, não conquistou fãs como Deolane pelo jogo que sua adversária chama de “sujo”. Muito antes pelo contrário, pois corre o risco de sair cancelada – com o reforço das palavras duras ditas por Rachel, ao descrevê-la como “agressiva por natureza”.

 

“Defesa não é agressão”

A ex-peoa também afirmou que sua reação foi de defesa a um ataque de Jenny. O argumento reflete uma hashtag que viralizou nas redes sociais durante toda a tarde de quinta (19/10), após sua expulsão: “Defesa não é agressão”. A frase foi tão impulsionada que liderou os tópicos do X (antigo Twitter). Entretanto, seus multiplicadores espalharam o slogan antes de verem as imagens do confronto.

Exibido na íntegra pela Record TV e propagado em recortes nas redes sociais, o confronto destacou a linguagem corporal das adversárias, com Rachel agitando os braços e batendo as mãos, em contraste com Jenny, que manteve os braços abaixados o tempo inteiro, só erguendo as mãos de forma instintiva após Rachel fazer o gesto que a levou a ser expulsa.

Inicialmente, Jenny argumentava no tom monótono que caracteriza sua fala, enquanto Rachel demonstrava agitação. Foi por se irritar com a recusa de Jenny em aceitar seu ponto de vista e insistir em contra-argumentar, que a jornalista agiu, tentando simbolicamente calar a boca da adversária com a mão.

Rachel tentava justificar porque devia ser trocada por outra pessoa no trato das ovelhas, enquanto Jenny rebatia com exemplos do que tinha feito ao cuidar da vaca. Sem conseguir romper o impasse, a jornalista resolveu gritar: “Não tô falando de você!”. Isso fez Jenny reagir, com um berro anda mais alto de “Não grita!”, dando um passo para frente para ficar perto do rosto de Rachel, de forma a provocar e intimidar a adversária. Foi este passo para frente e a mudança abrupta de tom que fez a jornalista colocar a mão na cara da mãe de Bia Miranda, empurrando-a com uma pequena força. A cena foi reprisada em câmera lenta para evidenciar o contato físico e a força empregada na ação.

Após o ato, não houve reação fisicamente agressiva de Jenny, que destacou de forma verbal, aos gritos, o que tinha acontecido. Com Lucas Souza se metendo entre as duas, ela também tentou desestabilizá-lo, mas com a chegada de mais pessoas Jenny logo saiu do local.