Divulgação/Unifrance

Documentário revela que brasileiros passam mais de 5 horas por dia no celular

Um novo documentário francês, “Dopamina – Os Efeitos das Redes Sociais no Cérebro”, revelou que os brasileiros passam, em média, 5 horas e 30 minutos por dia diante das telas de celulares. Esse tempo é superior ao gasto em países como França e Alemanha, onde a média é de cerca de 3h30, e nos Estados Unidos, onde o tempo médio gira em torno de 4 horas.

 
A psicologia por trás dos smartphones

Especialistas entrevistados no documentário explicam como esse padrão de comportamento já se transformou em hábito. “Quando somos recompensados de forma imprevisível, seja com likes, mensagens ou descobertas inesperadas, nosso cérebro entra em um estado de antecipação. A incerteza dessas recompensas cria um loop vicioso, onde nos sentimos compelidos a rolar o feed em busca de mais gratificação”, explica Laurent Madelain, especialista em comportamento humano.

Com o tempo, a motivação inicial de receber recompensas é substituída pela rotina diária. Ao entrar no metrô ou esperar em uma fila, nosso cérebro automaticamente recorre ao telefone, sem pensar na possível recompensa. A própria situação se torna um gatilho para o uso do smartphone.

 
Busca incessante por estímulos

Mesmo que as recompensas se tornem escassas ou inexistentes, ainda continuamos rolando o feed em busca de algo interessante. Essa busca incessante por estímulos novos e agradáveis é alimentada pela memória de experiências passadas e pela esperança de que algo valioso esteja à espreita nas próximas rolagens.

O documentário dirigido por Léo Favier e produzido pela ARTE France e Les Bons Clients investiga os impactos do consumo excessivo de smartphones e aplicativos. levanta questionamentos sobre essa conexão contínua com nossos dispositivos. “Estamos aproveitando ao máximo nosso tempo de forma produtiva? Ou estamos nos perdendo em um ciclo vicioso de hábitos digitais? É essencial refletirmos sobre nosso uso de smartphones e redes sociais, reconhecendo a importância de estabelecer um equilíbrio saudável entre a tecnologia e o mundo real”, questiona a obra.

 
Onde assistir

“Dopamina – Os Efeitos das Redes Sociais no Cérebro” será exibido no fim de agosto no canal pago Curta!, mas já está disponível em Curta!On – Clube de Documentários, acessível na Claro TV+ e pelo site curtaon.com.br. Novos assinantes inscritos pelo site têm sete dias de degustação gratuita de todo o conteúdo.

Veja o trailer abaixo.