Divulgação/Globoplay

Ex-diretor de Gugu defende Marlene Mattos das críticas de Xuxa: “Nenhuma é santa”

Homero Salles, o braço direito de Gugu Liberato (1959-2019), decidiu expor sua opinião sobre o conflito entre Xuxa e Marlene Mattos. Num texto no LinkedIn, o ex-diretor reforçou a seriedade da produtora e disse que a artista se aproveitou do assunto para promover “Xuxa – O Documentário”.

Ele fez questão de esclarecer que não tem relação próxima com Marlene apesar de defendê-la. “Já vou adiantando que não sou amigo da Marlene, estive com ela apenas uma vez quando gravei na casa ‘rosada’ [antiga residência de Xuxa em Vargem Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro]”, ele pontuou.

“E ela me tratou com educação, porém, fria e desinteressada em ser simpática. Até aí, nada demais, estava lá para trabalhar e não para fazer amigos.”

Salles então opinou sobre a maneira em que a diretora foi tratada nos últimos dias. Segundo ele, os produtores escolheram o assunto apenas para viralizar um lado negativo da ex-empresária de Xuxa: “Para esse lançamento precisavam de um gancho para divulgação. E qual foi o gancho escolhido? Parabéns a quem acertou, ganhou um pirulito: é a dona Marlene.”

 
Autopromoção?

Em seguida, o braço direito de Gugu Liberato questionou as falas controversas de Xuxa, que também afirma ser grata pelo trabalho de Marlene. “Trechos divulgados enfatizam e demonizam a ex-diretora, insistindo sobre Marlene ser um monstro perante à legião de seguidores”, pontuou Salles.

“Traumas causados, prejuízos psicológicos, blá-blá-blá. Espera aí, nenhuma palavra de gratidão? Não houve direcionamento, dedicação e suporte profissional para impulsionar sua carreira?”, alfinetou Homero.

Por fim, Homero Salles avaliou que a briga com Marlene Mattos está sendo usada apenas como estratégia para promoção de Xuxa Meneghel, que vendeu seu documentário para o streaming Globoplay.

“Nenhuma das duas é santa [incluo a humanidade toda nessa definição], mas existe um limite para o marketing ou vale tudo? Marlene pode ter exagerado e pode até ter dado alguns dos motivos alegados por Xuxa, mas essa insistência em gerar polêmica leva ao absurdo de execrar.”