Divulgação/Netflix

Espólio de Marilyn Monroe elogia Ana de Armas após críticas a sotaque

O espólio oficial de Marilyn Monroe resolveu elogiar nesta segunda (1/8) a escolha da atriz Ana de Armas para interpretar a atriz icônica no filme “Blonde”, dirigido por Andrew Dominik (“O Assassino de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford”). A decisão veio num momento importante. Desde que a Netflix revelou o primeiro trailer oficial do filme na quinta (28/7), muitos reclamaram que o sotaque da atriz cubana não combinava com o tom ofegante icônico de Monroe.

O filme não é autorizado pelo espólio de Monroe, mas o grupo defendeu a escalação de Ana de Armas mesmo assim.

“Marilyn Monroe é um ícone singular de Hollywood e da cultura pop que transcende gerações e história”, disse Marc Rosen, presidente de entretenimento do Authentic Brands Group (ABG), proprietária do espólio. “Qualquer ator que assume esse papel sabe que tem um grande lugar para preencher. Com base apenas no trailer, parece que Ana foi uma ótima escolha de elenco, pois captura o glamour, a humanidade e a vulnerabilidade de Marilyn. Mal podemos esperar para ver o filme na íntegra!”

A maioria das reclamações criticou o fato da atriz manter seu sotaque cubano, que não é como Monroe soava. De Armas disse à Vanity Fair em 2020 que a decisão de Andrew Dominik de escalar uma atriz cubana como um ícone americano foi “inovadora”.

“Eu só tive que fazer um teste para Andrew dizer ‘é você’, mas eu tive que fazer o teste para todos os outros”, disse de Armas à revista. “Os produtores. As pessoas do dinheiro. Eu sempre tenho pessoas que eu precisava convencer. Mas eu sabia que poderia fazer. Interpretar Marilyn foi inovador. Uma cubana interpretando Marilyn Monroe. Eu queria tanto. Você vê aquela foto famosa dela e ela está sorrindo no momento, mas isso é apenas uma fatia do que ela realmente estava passando na época.”

Apesar das críticas, depois de aprovada De Armas estudou a fundo o jeito com que Monroe se expressava. Ela revelou ao jornal londrino The Times que passou quase um ano inteiro trabalhando em seu sotaque para encarnar a estrela antes do início das filmagens. A atriz disse: “Levei nove meses treinando dialetos, praticando e fazendo algumas sessões de ADR [para acertar o sotaque]. Foi uma grande tortura, tão exaustivo. Meu cérebro acabou fritando.”

Produzido pela Plan B, produtora de Brad Pitt, “Blonde” é uma adaptação do livro de mesmo nome, de Joyce Carol Oates, que mistura realidade e ficção para contar a história da lendária estrela de cinema.

Direção e roteiro são de Andrew Domini, que aparentemente vai fundo nos momentos mais polêmicos da vida da estrela, do assédio de produtores de cinema a surtos nervosos, mas principalmente a síndrome do impostor.

Além de Ana de Armas, o elenco destaca Adrien Brody (“A Crônica Francesa”) como o escritor Arthur Miller e Bobby Cannavale (“O Irlandês”) como o jogador de beisebol Joe DiMaggio, ex-maridos de Marilyn.

“Blonde” vai disputar o Leão de Ouro no Festival de Veneza, antes de chegar em streaming no final de setembro.