Divulgação/ABC

Comediantes dos EUA receiam onda de violência após tapa de Will Smith

Os comediantes dos EUA, especialmente os que trabalham em shows de stand-up, manifestaram receios de que o tapa de Will Smith em Chris Rock no Oscar 2022 dê início a uma onda de violência em apresentações de humor, levada adiante por quem não gostar das piadas. Smith agrediu Rock por conta de uma piada sobre a careca de sua esposa, Jada Pinkett Smith, que tem uma condição autoimune.

Kathy Griffin foi uma das primeiras a falar abertamente sobre a preocupação nas redes sociais.

“Deixe-me dizer uma coisa”, Griffin tuitou, “É uma prática muito ruim subir no palco e agredir fisicamente um comediante. Agora todos nós temos que nos preocupar com quem quiser ser o próximo Will Smith em clubes de comédia e teatros.”

Hal Sparks ecoou o medo de que a ação de Smith possa representar uma “luz verde para muita violência” contra os comediantes.

“Alguém no círculo de Will Smith precisa dizer a ele que não há como o que ele fez esta noite não resultar em um comediante em algum lugar sendo espancado ou morto. Ele acendeu a luz verde para muita violência.”

Patton Oswalt chegou a brincar com a situação, dizendo que estava “muito nervoso para meus shows no The Irvine Improv. Alguém tem uma máscara protetora de apanhador [de beisebol] que possa me emprestar?”

Até Mark Hamill, intérprete de Luke Skywalker na saga “Star Wars”, pronunciou-se sobre a polêmica.

“Os artistas de stand-up são muito hábeis em lidar com provocadores”, ele tuitou. “Já agressão física violenta… nem tanto”.

O diretor e produtor de comédias Judd Apatow postou uma série de tuites exaltados, que foram rapidamente apagados. Mas numa entrevista para a rádio SiriusXM, na noite desta segunda, ele apontou para as consequências da agressão de forma mais comedida: “Eu ficaria muito surpreso se ele não se desculpasse, porque, basicamente, se isso ficasse assim, então você sabe, o que poderia acontecer com Ricky Gervais no próximo Globo de Ouro?”

Rosie O’Donnell chegou a elogiar a frieza de Chris Rock. Chamando o ataque de “tão perturbador – em todos os níveis”, ela acrescentou: “Bravo para Chris Rock por não eviscerar Will Smith – o que ele poderia fazer em qualquer dia da semana. Ele apenas se afastou – bravo, diante da triste exibição de masculinidade tóxica de um louco narcisista.”

A atitude de Chris Rock também foi louvada por Whoopi Goldberg, que já apresentou o Oscar por quatro ocasiões. Em sua participação no programa “The View”, ela afirmou: “Acho maravilhoso que Chris não tenha levado para aquele outro lugar, o que ele poderia ter feito”.

Mas ela relevou a atitude de Smith, por considerar que foi uma somatória de fatos, incluindo piadas anteriores do próprio Rock sobre o casal. “Eu entendo, nem todo mundo age da maneira que gostaríamos que agissem sob pressão. E ele pirou.”

Voz dissonante entre os humoristas, a comediante Tiffany Haddish chamou o salto de Smith para o palco do Dolby Theatre de “a coisa mais linda que eu já vi”.

Haddish elogiou Will Smith para a revista People, na festa após a cerimônia.

“Como uma mulher, que foi sempre desprotegida, gostei de ouvir alguém dizer: ‘Mantenha o nome da minha esposa fora de sua boca, deixe minha esposa em paz’. É isso que seu marido deve fazer, certo? Proteger você”, explicou. “E talvez o mundo não goste de como aconteceu, mas, para mim, foi a coisa mais linda que eu já vi porque me fez acreditar que ainda existem homens por aí que amam e se preocupam com suas mulheres, suas esposas.”