Instagram/Golden Globes

Peter Dinklage critica nova versão de “Branca de Neve”: “Retrógrada”

O astro de “Game of Thrones” Peter Dinklage criticou o projeto de uma versão da Disney para o clássico “Branca de Neve e os Sete Anões”, que ele chamou de “história retrógrada”. O remake pretende expandir a história lançada nos anos 1930, baseada no conto de fadas dos Irmãos Grimm, e está programado para ser lançado em 2023.

Em entrevista ao comediante Marc Maron em seu podcast “WTF”, Dinklage destacou que a empresa vem recebendo elogios por seu elenco racialmente diversificado, com a latina Rachel Zegler (de “Amor Sublime Amor”) no papel principal e Gal Gadot (“Mulher-Maravilha”) como a Rainha Má, mas não dá realmente para elogiar uma trama que reforça estereótipos negativos na representação de pessoas com deficiência.

“Sem ofensa a nada, mas fiquei um pouco surpreso por… eles estavam muito orgulhosos de escalar uma atriz latina como Branca de Neve, mas você ainda está contando a história de ‘Branca de Neve e os Sete Anões’”, disse o ator.

“Dê um passo para trás e veja o que você está fazendo. Não faz sentido para mim”, continuou Dinklage. “Você é progressista de certa forma, mas ainda está fazendo aquela história retrógrada dos sete anões vivendo na caverna. O que você está fazendo, cara? Será que eu não fiz nada para que a minha causa avançasse? Acho que não gritei o suficiente.”

“Eles estavam tão orgulhosos da diversidade…”, continuou. “Com todo amor e respeito à atriz e às pessoas que achavam que estavam fazendo a coisa certa, mas eu fiquei tipo, ‘o que vocês estão fazendo?’”, acrescentou Dinklage, que afirmou ainda que toparia participar do projeto se a história fosse virada do avesso e se tornasse “legal” e “progressiva”.

O live-action de “Branca de Neve” será dirigido por Marc Webb (“O Espetacular Homem-Aranha”) e ainda vai ganhar uma trilha sonora da dupla vencedora do Oscar por “La La Land” (2016), Benj Pasek e Justin Paul.

A versão original foi o primeiro longa de animação lançado pela Disney, em 1937, iniciando uma nova era em Hollywood ao render um sucesso estrondoso para o estúdio. Hoje, a Disney é o estúdio de cinema mais rico e poderoso do mundo.