Instagram/Spencer Elden

“Bebê do Nirvana” entra com outro processo contra a banda

Spencer Elden, conhecido como “bebê do Nirvana”, ainda não se deu por vencido. Ele apresentou um novo processo por pornografia infantil em Los Angeles, por aparecer pelado ainda bebê na capa do disco “Nevermind”, após um juiz rejeitar sua primeira ação por falhas processuais.

Elden, que hoje tem 30 anos, apresentou uma denúncia no segundo semestre de 2021 argumentando que nem ele e nem seus pais autorizaram o uso de sua imagem, “e menos ainda para a exploração comercial de sua pessoa com imagens de pornografia infantil”.

Um juiz de Los Angeles desconsiderou o caso em 3 de janeiro, sem avaliar o mérito, pois Elden não respondeu a tempo os argumentos apresentados pelos advogados do Nirvana. Contudo, o juiz permitiu que ele apresentasse uma nova denúncia no prazo de dez dias, o que ele fez na quarta-feira (12/1).

Em sua defesa, os músicos alegam falta de mérito. Os advogados demonstraram que, se a teoria de Elden fosse legítima, qualquer um que possuísse uma cópia do disco seria culpado por posse de pornografia infantil, por exemplo. Além disso, destacaram que, até recentemente, o jovem usufruía com prazer da notoriedade adquirida como o “bebê do Nirvana”.

“Ele reencenou a fotografia muitas vezes; tatuou o título do álbum no peito; apareceu em um talk show vestindo um macacão cor nude e fez uma paródia de si mesmo; autografou cópias da capa do álbum para vender no eBay; e usou a fama para tentar se aproximar de mulheres”, diz o texto da resposta jurídica ao processo original.