Divulgação/Warner Bros.

“Matrix Resurrections” chega aos cinemas nesta quarta

As estreias começam mais cedo na época do Natal, com o lançamento de “Matrix Resurrections” nesta quarta (22/12), simultaneamente com os EUA.

Ressurreição é normalmente tema da Páscoa, mas este não é o principal problema com a data escolhida pela Warner. A produção vai encontrar um circuito saturado de cópias de “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa”, que chegou em 96% dos cinemas brasileiros na semana passada.

Praticamente sem espaço, a programação ainda recebe mais três títulos na quinta (23/12): um “terrir” e duas fantasias alemãs com distribuição bem limitada – uma delas, em busca de vaga no Oscar 2022. Confira abaixo mais detalhes de cada filme.

 

 

MATRIX RESURRECTIONS

 

Continuação que é mais nostálgica que inovadora, ao mesmo tempo em que critica a própria nostalgia, “Matrix Ressurrections” é definitivamente melhor que as duas sequências do filme original, justificando a retomada da franquia pela cineasta Lana Wachowski com cenas de muita emoção.

Cheio de flashbacks e personagens antigos – alguns com rostos novos – , a sci-fi vai fundo na metalinguagem, com citações à Warner, continuações e até a um game chamado Matrix, mas seu coração carregado de efeitos visuais bate mesmo é pela história de amor dos protagonistas. Em tempo, a produção ainda comprova, como foi visto em “Punho de Ferro”, que Jessica Henwick é uma coadjuvante perigosa, capaz de roubar cenas de qualquer protagonista – até de Keanu Reeves.

 

 

A ÚLTIMA NOITE

 

O filme de Natal mais sombrio deste fim de ano acompanha um casal e seu filho, que se preparam para acolher seus amigos e familiares numa ceia perfeita, onde todos pretendem se confraternizar como se não houvesse amanhã. Porque não haverá. Enquanto na casa decorada o clima assume uma comicidade dramática, do lado de fora é literalmente uma sci-fi apocalíptica.

Estreia na direção de Camille Griffin (assistente de câmera de “Star Wars: A Ameaça Fantasma”), traz Keira Knightley (“Colette”) e Matthew Goode (“A Descoberta das Bruxas”) nos papéis principais.

 

 

UNDINE

 

A programação se completa com dois filmes alemães, que por coincidência tem temas fantasiosos e premiaram suas protagonistas com os troféus de Melhor Atriz em duas edições consecutivas do Festival de Berlim, no ano passado e neste ano.

“Undine”, do premiado Christian Petzold (“Em Trânsito”), consagrou o desempenho de Paula Beer (parceira de “Em Trânsito”) também com um troféu da Academia Europeia de Cinema. Ela interpreta a sereia urbana do título, que precisa lidar com o fim de um relacionamento, numa abordagem cheia de referências aquáticas e que não perde de vista a inspiração nas fábulas encantadas.

 

 

O HOMEM IDEAL

 

Estrelado por Maren Eggert (“Eu Estava em Casa, Mas…”), o longa de Maria Schrader (“Nada Ortodoxa”) acompanha uma cientista que, para obter fundos de pesquisa, aceita participar de uma experiência e viver durante três semanas com um robô humanoide (Dan Stevens, de “Legion”) programado para fazê-la feliz.

Instigante, é o lançamento da semana com maior aprovação no Rotten Tomatoes: 96% de críticas positivas. Além disso, entrou na lista dos 15 títulos pré-selecionados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para disputar vaga no Oscar de Melhor Filme Internacional.