Divulgação/MGM

“007 – Sem Tempo para Morrer” atinge US$ 700 milhões nas bilheterias

O novo filme do agente secreto James Bond acertou seu título, recusando-se a morrer nas bilheterias. Há sete semanas em cartaz, “007 – Sem Tempo para Morrer” ultrapassou a marca de US$ 700 milhões de arrecadação mundial neste domingo (14/11), consolidando-se como o segundo filme mais bem-sucedido de Hollywood em 2021.

Ao todo, o longa da MGM/Universal soma US$ 708,6 milhões. Apenas “Velozes e Furiosos 9” arrecadou mais em todo o mundo, com US$ 721 milhões.

Como a diferença é pequena, pode ser superada em poucos dias para consagrar de vez a despedida do ator Daniel Craig do papel de 007. Mas a tarefa vai se tornar cada vez mais árdua daqui para frente, já que o filme passou a enfrentar concorrência de si mesmo, com o lançamento de sua versão digital em muitos mercados.

O mais impressionante no desempenho do longa é que a maior parte de sua arrecadação vem de fora dos EUA. A América do Norte é responsável por “apenas” US$ 150 milhões do faturamento, enquanto o restante, US$ 558 milhões, vem do exterior.

Isto faz de de “007 – Sem Tempo para Morrer” a produção de Hollywood mais bem-sucedida no mercado internacional em toda a pandemia.

O 25º filme oficial de James Bond já ultrapassa o campeão de bilheteria da franquia, “007 – Operação Skyfall”, em 18 países, e o lançamento anterior, “007 Contra Spectre”, em 22.

A produção estreou em seu último mercado importante neste fim de semana, abrindo com US$ 8,2 milhões na Austrália, a maior estreia no país desde dezembro de 2019.

Outros destaques de arrecadação do longa incluem a receita bruta do Reino Unido, atualmente em US$ 126 milhões, o desempenho na Alemanha, com US$ 70,5 milhões, e o sucesso na China, com US$ 57,9 milhões.

O sucesso do filme também impulsiona o circuito IMAX, onde soma US$ 43,5 milhões em todo o mundo, o segundo melhor resultado do formato desde dezembro de 2019.