blank Divulgação/Galeria

Produtores de “A Menina que Matou os Pais” preparam novo filme de “true crime”

A Galeria Distribuidora prepara mais um filme inspirado em crime real após a repercussão do lançamento de “A Menina que Matou os Pais” e “O Menino que Matou Meus Pais”, baseados no caso von Richthofen.

A nova produção vai abordar uma lenda urbana de São Paulo: o crime do Castelinho da Rua Apa, que aconteceu em 1937 e deu fama de “mal-assombrado” ao local.

Tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental de São Paulo (Conpresp), o Castelinho da Rua Apa foi residência da família César Reis no início do século 20, cujo parentes eram donos do famoso cinema Broadway, na avenida São João.

No dia 12 de maio de 1937, Álvaro César Guimarães Reis matou a própria mãe e o irmão dentro de casa. Em seguida, tirou a própria vida. Mas os motivos do crime nunca foram esclarecidos.

Desde então, o local ganhou fama de assombrado, chegando a ficar em situação de abandono até ser restaurado em 2016 para sediar uma ONG. Reportagens dessa ocasião trouxeram depoimentos de vizinhos que relataram que “nada dá certo” no local, porque a construção teria sido amaldiçoada pela tragédia.

Produtor do filme, Gabriel Gurman disse que a aposta é no “potencial” em torno do mistério e o fascínio pelo gênero “true crime” (de crimes reais), em alta em todo o mundo.

“Não entraríamos em outro projeto do gênero ‘true crime’ se realmente não acreditássemos no potencial da história. Não queremos apenas replicar histórias, gêneros ou formatos, mas sim desenvolver cases e conceitos únicos para cada obra que desenvolvemos, e não será diferente nesse caso”, disse o produtor em comunicado à imprensa.