Instagram/Alanis Morrissette

Alanis Morissette revela ter sofrido estupro coletivo aos 15 anos

A cantora e atriz Alanis Morissette revelou que foi estuprada por vários homens aos 15 anos, quando era uma estrela mirim canadense. A revelação do estupro coletivo faz parte de “Jagged”, um novo documentário dobre sua carreira produzido pela HBO.

“Levei anos em terapia para admitir que houve qualquer tipo de vitimização da minha parte”, diz a cantora no documentário. “Eu sempre dizia que estava consentindo e, então, seria lembrada que ‘Ei, você tinha 15 anos, você não estava consentindo aos 15.’” A idade legal para consentimento sexual no Canadá é 16 anos.

“Agora eu fico tipo, ‘Oh sim, eles são todos pedófilos. Foi estupro’”, disse ela.

Morissette não identificou nenhum de seus supostos estupradores. “Eu contei para algumas pessoas e meio que caiu em ouvidos moucos”, revelou a cantora. “Normalmente, seria um momento em que as pessoas saíam da sala”, acrescentou.

Apesar de tornar público o abuso, o documentário não agradou a cantora, que entrou em conflito com a diretora Alison Klayman (“Flower Punk”) e decidiu não prestigiar a première mundial, marcada para terça-feira (14/9) no Festival de Toronto, no Canadá.

O motivo da discordância não foi esclarecido por nenhuma das partes envolvidas. Mas, segundo o jornal The Washington Post em sua crítica, não há nada controvertido na produção que não tenha sido trazido à tona pela própria cantora.

O filme narra toda a trajetória de Morissette, desde seus dias de menina prodígio do dance-pop no Canadá até sua transformação em roqueira confessional em Los Angeles, vários anos depois.

O destaque é o álbum “Jagged Little Pill” de 1995 e a turnê de 18 meses que se seguiu, quando Morissette alcançou o megaestrelato e vendeu 33 milhões de cópias em todo o mundo. Décadas depois, o disco continua a fazer sucesso, agora como espetáculo na Broadway, inspirado em suas músicas.