Divulgação/NBC

Netflix salva “Manifest” e série terá temporada final

A Netflix salvou a série “Manifest”, cancelada há dois meses pela rede americana NBC. A plataforma encomendou 20 capítulos inéditos, que darão um final à trama, interrompida sem fim em sua 3ª temporada.

Com isso, a 4ª temporada será a maior de toda a série, que geralmente tinha 13 episódios por temporada. Mas a Netflix deve dividir a exibição em duas partes.

O salvamento marca uma reviravolta notável para a série, após a própria Netflix afirmar que não tinha como salvá-la, devido aos vários contratos internacionais firmados pela Warner com diferentes empresas, mercado por mercado – por exemplo, para o canal pago Sky no Reino Unido e a plataforma Globoplay no Brasil.

Mas o detalhe é que, desde que foi cancelada, “Manifest” viu seus fãs se multiplicarem. E não apenas em campanhas pelo salvamento da série, que incluíram até o escritor Stephen King tuitando “save Manifest”. Em audiência mesmo. A atração estreou na Netflix na mesma época do cancelamento e ficou mais um de um mês como a atração mais vista da plataforma nos EUA.

Atentos a este desdobramento, o criador da série, Jeff Rake, e a equipe da Warner Bros. TV fizeram plantão para convencer a Netflix a salvar a atração. A princípio, a resposta da plataforma foi negativa, o que levou até o elenco a se despedir dos fãs nas redes sociais. Alguns atores, inclusive, já negociavam papéis em novas atrações. Mas os números de audiência não caíram como muitos acreditavam que aconteceria com o cancelamento, que deixou a trama sem fim. Ao contrário, as maratonas aumentaram.

Impressionada com esse fenômeno, a Netflix voltou à mesa de negociações.

“Desde sua estreia na Netflix em junho, ‘Manifest’ provou ser muito popular entre nossos membros”, disse Bela Bajaria, chefe de TV global da Netflix. “Jeff Rake e sua equipe criaram um mistério cativante que deixa os telespectadores de todo o mundo ansiosos e acreditando novamente em segundas chances, e estamos entusiasmados por eles trazerem aos fãs um desfecho final nesta temporada vitaminada”.

“O que começou anos atrás como um voo de fantasia no fundo da minha imaginação evoluiu para a jornada de uma vida”, acrescentou o showrunner Jeff Rake. “Nunca, em meus sonhos mais loucos, eu poderia imaginar a demonstração mundial de amor e apoio por esta história, seus personagens e à equipe que trabalha tão duro para trazer tudo à vida. O fato de que agora somos capazes de recompensar os fãs com o final que eles merecem me comove sem parar. Em nome do elenco, da equipe, dos escritores, diretores e produtores, obrigado à Netflix, à Warner Bros. e, claro, aos fãs. Vocês fizeram isso.”

Uma curiosidade sobre a renovação é que seu anúncio foi feito às 8h28 deste sábado (28/8) em Los Angeles, horário e dia que contém os números do fatídico Voo 828 da série.

“Manifest” acompanha os passageiros de um avião, que após ficar cinco anos desaparecido, chega ao aeroporto de seu destino como se fosse um voo normal. Os passageiros estão exatamente como eram, sem que o tempo tivesse avançado para eles, o que chama atenção do governo, da mídia e afeta as famílias que os consideravam mortos. Além do mistério do desaparecimento, os viajantes do voo 828 ainda precisam lidar com um efeito colateral inesperado, passando a ouvir “chamados” para fazer determinadas coisas.

Segundo os produtores, entre eles o célebre cineasta Robert Zemeckis (“De Volta para o Futuro”), a trama foi inspirada pelo desaparecimento misterioso do voo 370 da Malaysia Airlines, mas a premissa também sugere influência de “Lost” e “The 4400”.

O elenco é liderado por Josh Dallas (o Príncipe Encantado de “Once Upon a Time”), Melissa Roxburgh (série “Valor”), Parveen Kaur (série “Beyond”), Luna Blaise (série “Fresh Off the Boat”), J.R. Ramirez (série “Jessica Jones”), Athena Karkanis (série “Zoo”), Matt Long (“Helix”), Daryl Edwards (“Demolidor”), Holly Taylor (“The Americans”) e o menino Jack Messina (“Maravilhosa Sra. Maisel”).

Jack Messina não deve voltar, pois o cliffhanger que encerrou a 3ª temporada mostrou que ele tinha viajado no tempo e retornado mais velho, interpretado por outro ator. E enquanto o impasse se estendia, Matt Long entrou no piloto de uma nova série. Não está claro se ele voltará atrás nesta decisão, nem quem mais se encontra na mesma situação.

O anúncio também não foi acompanhado de maiores explicações sobre as consequências do resgate em relação aos contratos internacionais da produção, em especial sobre a forma com que o público de outros países terá acesso ao episódios inéditos. Isto é, se a última temporada é exclusiva da Netflix ou se será exibida, por exemplo, pela Globoplay no Brasil.