Instagram/H.E.R.

H.E.R. vai estrear como atriz na versão musical de “A Cor Púrpura”

A cantora H.E.R. já tem um Oscar, mas ainda faltava fazer sua estreia como atriz. Vencedora neste ano do troféu da Academia pela música “Fight for You”, do filme “Judas e o Messias Negro”, ela vai debutar no cinema no elenco da nova versão de “A Cor Púrpura”.

H.E.R., cujo nome real é Gabriella Wilson, interpretará a personagem Squeaky, que foi vivida por Ray Dawn Chong na primeira versão cinematográfica de 1985. Na versão do musical da Broadway, que inspira a nova filmagem, Squeaky é uma garçonete que se transforma numa aspirante a cantora.

Originalmente um livro de Alice Walker, “A Cor Púrpura” chegou às telas pela primeira vez em 1985, num filme dirigido por Steven Spielberg, que lançou a carreira da atriz Whoopi Goldberg. A história da mulher negra que luta para encontrar sua identidade após sofrer anos de abusos de seu pai e do marido, acabou transportada para a Broadway em 2005, numa montagem musical que recebeu 11 indicações ao Tony (o Oscar do teatro). A peça voltou a ser montada em 2015 e, desta vez, venceu dois Tonys, incluindo de Melhor Revival Musical.

O novo filme será inspirado nesse musical, com direção do ganês Blitz Bazawule, que assinou parte do álbum visual “Black Is King”, de Beyoncé.

A adaptação é escrita por Marcus Gardley, roteirista da série “The Chi”, e a produção é comandada por um time poderoso, que incluiu Spielberg, a apresentadora Oprah Winfrey, que estreou como atriz no longa de 1985, o cineasta Scott Sanders (“Black Dynamite”) e o jazzista Quincy Jones, autor da trilha do filme original.

Segundo o site Deadline, todos eles teriam ficado impressionados com o trabalho de Bazawule em “O Enterro de Kojo”, sua estreia na direção, que foi disponibilizada na Netflix em março de 2019.

Além de diretor, Bazawule também é músico e compositor e já lançou quatro álbuns, e essa sensibilidade musical, aliada à repercussão de “Black Is King”, tem gerado muita expectativa em torno de seu primeiro longa hollywoodiano.

Relembre abaixo a versão dramática de “A Cor Púrpura”.