Divulgação/Universal Television

Alex Cord (1933–2021)

O ator Alex Cord, que co-estrelou a série clássica dos anos 1980 “Águia de Fogo”, morreu na manhã de segunda-feira (9/8) em sua casa em Valley View, no Texas (EUA), aos 88 anos.

Cord lutou contra a poliomielite quando criança e apesar da deficiência se tornou um cavaleiro prolífico, chegando a explorar sua habilidade na montaria em várias séries e filmes de faroeste, desde sua estreia nas telas em “Laramie”, em 1961.

Seu primeiro destaque no cinema foi justamente como o cowboy Ringo Kid em “A Última Diligência”, lançado em 1966.

Apesar de ter feito participações especiais em dezenas de sucessos televisivos, de “Gunsmoke” à “Ilha da Fantasia”, ele só foi se destacar em 1984, no lançamento de “Águia de Fogo” (Airwolf). A série foi uma das três centradas em helicópteros lançadas naquele ano – refletindo a bilheteria de “Trovão Azul” nos cinemas.

Criada por Donald P. Bellisario (que também desenvolveu “Magnum” e “NCIS”), a produção original teve um total de 80 episódios, exibidos ao longo de três temporadas, trazendo Jan-Michael Vincent, Ernest Borgnine e Alex Cord nos papéis principais.

O papel de Cord era Michael Coldsmith-Briggs III, codinome “Arcanjo”, comandante de uma divisão especial da CIA chamada de “A Firma”, que construiu o helicóptero Águia de Fogo. Sua principal característica era usar um tapa olho e sempre se vestir de branco. Ele convoca o piloto Stringfellow Hawke, um veterano da Guerra do Vietnã vivido pelo ator Jan-Michael Vincent, para recuperar a aeronave desaparecida na Líbia.

O ator continuou a trabalhar em séries após o cancelamento da série na rede CBS – o canal pago USA ainda produziu uma 4ª temporada com outro elenco – , retomando a rotina de ator convidado em produções de sucesso como “Assassinato por Escrito” (Murder, She Wrote), “Carga Dupla” (Simon & Simon) e “Chuck Norris: O Homem da Lei” (Walker, Texas Ranger).

Seu último trabalho foi o telefilme “Fire from Below”, lançado em 2009.

Lembre abaixo a abertura original da série “Águia de Fogo”.