Divulgação/Hulu

Sean Penn se recusa a gravar série sem que todos da equipe estejam vacinados

A passagem de Sean Penn pelo Festival de Cannes, onde apresentou o fracasso crítico de “Flag Day”, inspirou o ator-diretor a exigir maior segurança sanitária em seus trabalhos. Em seu retorno aos EUA, ele deu um ultimado à produção da minissérie “Gaslit”, sobre o escândalo Watergate, recusando-se a retomar as gravações sem que todos os integrantes do elenco e da equipe estejam vacinados contra a covid-19.

A exigência acontece em meio a um aumento de contaminações na Califórnia, onde a produção está sendo gravada, devido ao impacto da variante delta do coronavírus.

O ator até ofereceu sua expertise logística para que todos os integrantes da produção sejam vacinados rapidamente, por meio de sua ONG, a CORE – que tem papel ativo no combate à pandemia, incluisive no Brasil, onde tem parcerias.

Baseada no podcast “Slow Burn”, “Gaslit” apresenta o escândalo de Watergate, que levou Richard Nixon a renunciar à presidência dos EUA, pelo ponto de vista dos “personagens esquecidos” da história. Penn interpreta um advogado que teve sua carreira arruinada pelo envolvimento no escândalo.

Criada por Robbie Pickering e Sam Ismail (respectivamente, roteirista e criador de “Mr. Robot”) e dirigida pelo cineasta Matt Ross (“Capitão Fantástico”) para o canal pago Starz, a minissérie também destaca em seu elenco a estrela Julia Roberts (“Álbum de Família”), Shea Whigham (“Agent Carter”), Dan Stevens (“Legion”) e Betty Gilpin (“GLOW”).