Divulgação/Berlinale

Salma Hayek revela que quase morreu de covid-19

Salma Hayek revelou que ficou à beira da morte em decorrência da covid-19. Em entrevista à revista Variety, a estrela mexicana contou que passou a maior parte de 2020 tentando se recuperar da doença, após contrair o vírus no início da pandemia.

“Meu médico implorou que eu fosse para o hospital porque eu estava muito mal. Eu disse: ‘Não, obrigada. Eu prefiro morrer em casa'”, ela admitiu.

A estrela de 54 anos precisou receber oxigênio e passou sete semanas isolada em um dos quartos de sua mansão, onde mora com o marido, o empresário francês François-Henri Pinault, e a filha Valentina, de 13 anos.

Antes de pegar covid-19, ela filmou o filme da Marvel “Os Eternos” e “Dupla Explosiva 2 e a Primeira Dama do Crime”. E especialmente no segundo teve várias cenas de ação – ao lado de Samuel L. Jackson e Ryan Reynolds, astros do primeiro “Dupla Explosiva” (2017). Mas ela observou que não conseguiria fazer isso hoje.

Mesmo tendo passado um ano do contágio, Hayek afirmou que ainda não recuperou a energia que tinha antes.

A atriz só voltou ao trabalho no mês passado, para filmar sua participação no filme “House of Gucci”, dirigido por Ridley Scott. Ela tem o papel de uma vidente que foi condenada por ajudar Patrizia Reggiani (interpretada por Lady Gaga) a orquestrar o assassinato de seu ex-marido Maurizio Gucci (vivido por Adam Driver), herdeiro da marca Gucci.

“Como não foi por muito tempo, foi fácil. Foi o emprego perfeito para voltar ao trabalho”, contou a atriz.

Os cinemas brasileiros receberão os três filmes que ela já finalizou nos próximos meses: “Dupla Explosiva 2” tem previsão de estreia para 1 de julho, “Os Eternos” em 28 de outubro e “House of Gucci” em 25 de novembro.