Instagram/Demi Lovato

Demi Lovato se assume como pessoa não-binária

A cantora e atriz Demi Lovato anunciou que se identifica como uma pessoa não-binária e prefere que as pessoas passam a chamá-la com pronomes neutros. A mudança aconteceu na estreia do seu novo podcast, “4D with Demi Lovato”.

“Durante o último ano e meio, eu passei por um processo de cura e reflexão. Com a ajuda deste trabalho, eu tive a revelação que me identifico como pessoa não-binária. Dito isso, eu oficialmente vou mudar meus pronomes para ‘they/them’. Acredito que isso representa melhor a fluidez que sinto na minha expressão de gênero, e permite com que eu tenha mais autenticidade e honestidade em relação a quem sou, a quem ainda estou descobrindo”, disse Demi Lovato no podcast.

Em inglês, os pronomes “they/them” tem sido adotados como opção de neutralidade de gênero para se referir a homens, mulheres ou pessoas não-binárias — que não se identificam como nenhum dos dois gêneros. Em português, porém, os pronomes são plurais masculinos – eles/deles, em tradução literal – e não funcionam da mesma forma numa linguagem “politicamente correta”.

Demi frisou que não se considera expert no assunto, e nem quer “falar por todas as pessoas não-binárias”. “Eu também não vou me irritar quando as pessoas deslizarem e usarem ‘ela/dela’ para falar de mim. Eu sei que, estando na minha posição [de pessoa pública], vai demorar um tempo para que as pessoas se acostumem”, acrescentou.

Também deixou claro que sua aparência ou forma de se vestir não vai mudar por causa desse anúncio. “Eu quero que todo mundo entenda que ser uma pessoa não-binária não significa que eu não vá continuar me vestindo da forma como quiser”. Ou seja, não há obrigação de se vestir como homem de uma hora para outra, e quem reparar pode perceber que ela já tem buscado um visual unissex nos últimos tempos.

“Eu poderia dar as costas para a minha carreira hoje, mas amanhã eu ainda iria me identificar como uma pessoa não-binária. Pela primeira vez na minha vida, estou colocando o meu bem-estar acima da minha carreira. Essa é a diferença entre fazer algo buscando atenção, e fazer algo porque é a sua verdade. Eu sei que nem todo mundo vai amar esse meu anúncio. Eu sei que algumas pessoas vão reagir com um medo irracional”, acrescentou.

Por fim, ela relacionou sua “saída do armário” binário à sua overdose de 2018, quando “ficou a 5 ou 10 minutos da morte”, em suas próprias palavras. “Sinto que o motivo de aquilo ter acontecido é que eu não estava vivendo a minha verdade”, considerou.

“Eu estava suprimindo quem eu realmente era para agradar stylists ou membros do meu time, ou mesmo os fãs, que queriam que eu fosse uma popstar feminina que usava roupas sexy. Eu achei que aquilo era o que eu deveria ser. Agora, percebo que é muito mais importante viver minha verdade do que me suprimir, porque isso [a overdose] é o tipo de coisa que acontece quando você se suprime”, afirmou, contextualizando sua overdose.

Veja a íntegra do podcast abaixo.