Divulgação/AMPAS

Steven Soderbergh vai produzir o Oscar 2021

O cineasta Steven Soderbergh foi um dos selecionados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para produzir a cerimônia do Oscar 2021. Ele vai trabalhar ao lado da produtora Stacey Sher, com quem já tinha colaborado em “Contágio”, “Erin Brockovich” e “Irresistível Paixão”, e Jesse Collins, um especialista de eventos de premiação televisados, que este ano comandou o Grammy.

Todos são estreantes na organização do Oscar, mas Soderbergh conhece bem o evento, tendo vencido o troféu de Melhor Direção por “Traffic” em 2000. Produtora veterana, Sher não venceu, mas já foi indicada duas vezes ao Oscar de Melhor Filme, por “Erin Brockovich” e “Django Livre”.

A primeira tarefa dos produtores pode ser definir se o próximo Oscar terá ou não apresentador. As duas últimas cerimônias optaram por aposentar o apresentador principal, com resultados mistos. Mas como mostrou Jimmy Kimmel à frente do Emmy em setembro passado, as cerimônias que adotam distanciamento social e participações virtuais precisam de um apresentador capaz de comandar o espetáculo, até por questão organizacional.

Com sua vasta experiência na TV ao vivo, Collins será de grande ajuda na criação de um programa que promete ser como nenhum outro: um híbrido de participação presencial e virtual.

“Estamos emocionados e apavorados em igual medida”, disseram Collins, Sher e Soderbergh em um comunicado. “Devido à situação extraordinária em que estamos todos, há uma oportunidade de nos concentrarmos nos filmes e nas pessoas que os fazem de uma nova maneira, e esperamos criar um programa que realmente se pareça com os filmes que todos amamos.”

O presidente da Academia, David Rubin, e a CEO da Academia, Dawn Hudson, acrescentaram: “O próximo Oscar é a ocasião perfeita para inovar e rever as possibilidades da premiação. Este é um time dos sonhos que responderá diretamente a esses tempos. A Academia está animada para trabalhar com eles para realizar um evento que reflita o amor mundial pelos filmes e como eles nos conectam e nos divertem quando mais precisamos deles.”

O 93º prêmio anual da Academia será exibido apenas em 25 de abril, devido aos atrasos das estreias causados ​​pela crise do coronavírus. No Brasil, a transmissão deve ficar por conta da Globo e do canal pago TNT, como nos anos anteriores.