Divulgação/Unsplash/Chloe Evans

Cinemas voltam a fechar na Inglaterra, estendendo o lockdown pela Europa

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson ordenou uma nova quarentena nacional neste sábado (31/10), dia em que o Reino Unido ultrapassou a marca de 1 milhão de casos de Covid-19 e uma segunda onda de infecções já ameaça sobrecarregar o serviço de saúde.

O Reino Unido tem o maior número oficial de mortes causadas por Covid-19 na Europa e o quinto maior do mundo, e atualmente está registrando mais de 20 mil novos casos de coronavírus por dia. Cientistas alertaram que, se a tendência continuar, o “pior cenário” previsto, de 80 mil mortes, pode ser ultrapassado.

Em uma entrevista coletiva convocada às pressas em Downing Street, a residência oficial do Primeiro Ministro, após vazamento dos planos na imprensa, Johnson disse que a quarentena de um mês em toda a Inglaterra vai começar no primeiro minuto de quinta-feira (5/10) e durar até 2 de dezembro.

As restrições lembram tempos de guerra. As pessoas só poderão sair de casa por motivos específicos, como educação, trabalho, exercícios, compras de itens essenciais e remédios ou cuidar dos vulneráveis. Além dos cinemas, também serão fechados teatros, restaurantes, bares, casas de shows e locais de comércio não essenciais. Já as escolas e serviços essenciais, como hospitais, delegacias e supermercados, vão continuar funcionando normalmente.

Johnson também anunciou que o governo vai reativar seu esquema de subsídio salarial de emergência para garantir que os trabalhadores temporariamente demitidos durante a nova quarentena recebam 80% de seu salário.

Desta vez, o Primeiro Ministro britânico decidiu agir diferente de quando impôs o primeiro isolamento nacional. Ele foi muito criticado por demorar a ordenar a quarentena, que se estendeu de 23 de março a 4 de julho, e chegou a ficar doente devido à infecção por covid-19 no final de março, precisando ser hospitalizado. A experiência com a doença mudou a forma como passou a encarar a pandemia.

Ao optar por fechar o país por um mês, o Reino Unido vai acompanhar a quarentena já anunciada por outros países, como França, Itália e Alemanha, estendendo o lockdown pela Europa. O continente estará praticamente fechado durante o mês de novembro. O objetivo é impedir a proliferação descontrolada da covid-19, visando permitir que as famílias possam se reencontrar para celebrar o Natal.

A situação é reforçadas por outros países, que também estão anunciando restrições, como Portugal, que anunciou quarentena em três regiões do país. As pessoas serão orientadas a ficarem em casa, realizar trabalho remoto e só fazer compras essenciais. Mas nem todo mundo está cooperando. Itália e Espanha chegaram a registrar protestos violentos nesta semana, contra o toque de recolher para conter a covid-19.