Divulgação/Vitrine Filmes

Bacurau vence o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

O filme “Bacurau” foi o vencedor da premiação da Academia Brasileira de Cinema. Chamado de Grande Premio do Cinema Brasileiro, o evento aconteceu na noite de domingo, de forma remota, com transmissão pela TV Cultura, e além de consagrar o longa de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho como o Melhor Filme do ano, também rendeu os troféus de Melhor Direção e Roteiro Original para a dupla, sem esquecer o prêmio de Melhor Ator para Silvero Pereira e a conquista de Efeitos Visuais.

“A Vida Invisível”, de Karim Ainouz, também se destacou no evento, recebendo quatro prêmios: Roteiro Adaptado, Direção de Arte, Fotografia e Atriz Coadjuvante (para Fernanda Montenegro).

Houve um empate no troféu de Melhor Ator, que foi dividido entre o intérprete de Lunga, em “Bacurau”, e Fabrício Boliveira, por “Simonal”. Já Andréa Beltrão teve seu trabalho em “Hebe” reconhecido, vencendo como Melhor Atriz.

Na categoria de Comédia, o escolhido foi “Cine Holliúdy 2 – A Chibata Sideral”, de Halder Gomes, que ainda rendeu a Chico Diaz o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante.

Confira abaixo todas as categorias premiadas.

Melhor Filme: “Bacurau”
Melhor Documentário: “Estou Me Guardando Para Quando O Carnaval Chegar”
Melhor Comédia: “Cine Holliúdy – A Chibata Sideral ”
Melhor Animação: “Tito e Os Pássaros”
Melhor Filme Infantil: “Turma Da Mônica – Laços”
Melhor Filme – Voto Popular: “Eu Sou Mais Eu”
Melhor Direção: Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles (“Bacurau”)
Melhor Direção Estreante: Leonardo Domingues (“Simonal”)
Melhor Atriz: Andrea Beltrão (“Hebe – A Estrela Do Brasil”)
Melhor Ator: Silvero Pereira (“Bacurau”) e Fabrício Boliveira (“Simonal”)
Melhor Atriz Coadjuvante: Fernanda Montenegro (“A Vida Invisível”)
Melhor Ator Coadjuvante: Chico Diaz (“Cine Holliúdy – A Chibata Sideral”)
Melhor Direção de Fotografia: Hélène Louvart (“A Vida Invisível”)
Melhor Direção de Arte: Rodrigo Martirena (“A Vida Invisível”)
Melhor Roteiro Original: Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles (“Bacurau”)
Melhor Roteiro Adaptado: Murilo Hauser, Karim Aïnouz e Inés Bortagaray (“A Vida Invisível”)
Melhor Figurino: Marina Franco (“A Vida Invisível”)
Melhor Maquiagem: Simone Batata (“Hebe – A Estrela Do Brasil”)
Melhor Efeito Visual: Mikaël Tanguy E Thierry Delobel (“Bacurau”)
Melhor Montagem de Ficção: Eduardo Serrano (“Bacurau”)
Melhor Montagem de Documentário: Karen Harley (“Estou Me Guardando Para Quando O Carnaval Chegar”)
Melhor Trilha Sonora: Wilson Simoninha e Max De Castro (“Simonal”)
Melhor Som: Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr., Abc e Renan Deodato (“Simonal”)
Melhor Filme Internacional: “Parasita”
Melhor Filme Ibero-Americano: “A Odisseia dos Tontos”
Melhor Curta de Animação: “Ressurreição”
Melhor Curta de Documentário: “Viva Alfredinho!”
Melhor Curta: “Sem Asas”
Melhor Série de Animação TV Paga/Streaming: “Turma Da Mônica Jovem – 1ª Temporada”
Melhor Série de Ficção TV Paga/Streaming: “Sintonia – 1ª Temporada”
Melhor Série de Ficção TV Aberta: “Cine Holliúdy– 1ª Temporada”
Melhor Série de Documentário TV Paga/Streaming: “Quebrando O Tabu – 2ª Temporada”