Divulgação/20th Century Studios

Advogado de Trump chama polícia ao cair em pegadinha de Sacha Baron Cohen

O ex-prefeito de Nova York e atual advogado pessoal do presidente Donald Trump, Rudolph Giuliani, chamou a polícia após ter uma entrevista “invadida” pelo comediante Sacha Baron Cohen.

De acordo com o site Page Six, do New York Post, Giuliani foi o Mark Hotel, em Manhattan, para uma entrevista sobre a resposta do governo à pandemia e não desconfiou de nada pois encontrou um ambiente profissional. Até ser surpreendido pela aparição do ator.

“Esse cara entra correndo, vestindo uma roupa doida, que eu diria ser uma roupa de transgênero rosa”, disse o político para o site. “Era um biquíni rosa, com renda, debaixo de uma blusa de malha translúcida, parecia absurdo. Ele tinha barba, pernas peludas, e não era o que eu chamaria de aparência atraente”, prosseguiu.

Prevendo que se tratava de uma pegadinha, Guiliani não perdeu tempo e acionou a polícia. Só depois soube que se tratava de Baron Cohen, mas a esta altura o humorista já tinha saído do hotel, correndo pelas ruas da Upper East Side usando apenas um roupão de banho.

Depois do incidente, Giuliani confessou ser fã do comediante, em especial de seu filme mais famoso, “Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América” (2008).

No começo do mês, o ator fantasiou-se de cantor country e fez o público entoar frases racistas num comício de extrema direita em Olympia, nos Estados Unidos.

Tudo indica que ele esteja preparando uma 2ª temporada de seu programa “Who is America?”, no canal pago Showtime, que arranjou várias polêmicas com políticos e líderes da direita americana em seus episódios exibidos em 2018.

A tática de Baron Cohen é fazer políticos assumirem seus preconceitos em entrevistas, disfarçando-se de apoiador ou um personagem capaz de despertar alguma reação extrema.