Sindicato dos Atores dos EUA cria manual para gravações de cenas de nudez e sexo



O Sindicato dos Atores dos EUA (SAG, na sigla em inglês) e a Federação de Artistas de Televisão e Rádio dos EUA (AFTRA) divulgaram um novo manual com uma série de normas para gravações de cenas envolvendo sexo e nudez.

“Essas diretrizes abordam diretamente o problema do assédio sexual nos set”, disse David White, diretor executivo do sindicato, em comunicado. “Esta é um vitória para nossos membros e para todo o setor. Ter coordenadores de intimidade em cenários onde o sexo simulado e outras formas de intimidade estão presentes protege melhor os membros do SAG-AFTRA e todos os outros profissionais envolvidos nessas cenas.”

Os coordenadores de intimidade atuam como advogados e ligações entre atores e produção em cenas envolvendo nudez e sexo simulado. As novas normas e protocolos do sindiato fornecem uma estrutura para seu envolvimento em todo o processo de produção e são projetadas para proteger os artistas e facilitar a colaboração com o mínimo de interrupção na produção. As novas diretrizes foram desenvolvidas em colaboração com líderes do sindicato, atores e coordenadores de intimidade (profissionais responsáveis pela segurança das gravações íntimas).



Buscando combater o assédio sexual nos sets, o chamado “Padrões e protocolos para o uso de coordenadores de intimidade” diz que coordenadores de intimidade devem revisar as barreiras físicas usadas durante a simulação de sexo em cena, por exemplo.

“Foi poderoso colaborar com nossos parceiros do setor, enquanto trabalhamos para padronizar os protocolos dos coordenadores do setor. Esses protocolos e diretrizes ajudarão a normalizar e incentivar o uso de coordenadores de intimidade em produções, garantindo assim a segurança dos membros do SAG-AFTRA enquanto eles trabalham. Os coordenadores de intimidade desempenham um papel único, defendendo a segurança dos artistas e garantindo que as necessidades criativas de uma produção sejam atendidas”, disse a atriz Gabrielle Carteris, presidente do SAG-AFTRA.

O sindicato também tem pressionado por uma legislação mais forte para ajudar a eliminar o assédio sexual na indústria do entretenimento.


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings