Gal Gadot vai filmar romance proibido pelo governo de Israel

A atriz Gal Gadot, estrela de “Mulher Maravilha”, vem buscando novos projetos desde que criou uma produtora com o marido, Jaron Varsano. Chamada de Pilot Wave, a empresa lançada em outubro já anunciou a produção de um remake americano da série criminal “Queens”, que fez sucesso em Israel, e agora prepara-se para adaptar outra obra famosa em seu país de origem.

A fama do livro “Borderlife”, porém, deve-se ao fato de ter sido proibido nas escolas de Israel pelo ministro da educação em 2015. A obra da escritora Dorit Rabinyan conta um romance entre uma mulher israelense e um homem palestino, e tornou-se best-seller após ser atacada pelo ministro Naftali Bennett.

Além de produzir, Gadot está considerando também estrelar o filme.

Mas o projeto deve demorar a sair do papel, porque a atriz está comprometida com a divulgação de “Mulher Maravilha 1984” e de “Morte no Nilo”, ambos em fase de pós-produção, além de ter na frente o projeto da minissérie do canal pago Showtime sobre a vida da atriz e inventora Hedy Lamarr e as filmagens de “Red Notice”, que a juntarão a Dwayne Johnson e Ryan Reynolds numa superprodução da Netflix.