The Stand: Marilyn Manson vai estrelar série sobre o Anticristo baseada em clássico de Stephen King



Marilyn Manson foi escalado para atuar na nova minissérie baseada no clássico do terror literário “The Stand – A Dança da Morte”, de Stephen King.

O cantor revelou sua escalação em entrevista à revista Revolver. “Shooter [Jennings] e eu gravamos um cover de ‘The End’, do The Doors, para a minissérie ‘The Stand’, na qual eu também vou atuar”, contou.

Ele não revelou qual será seu papel na produção, mas a história mostra o Anticristo, papel que parece sob-medida para o autor do disco “Antichrist Superstar”.

Publicado em 1978, o romance de 1,1 mil páginas é um dos poucos clássicos de King que nunca ganhou versão de cinema. Mas já foi transformado em minissérie, com um elenco grandioso (Gary Sinise, Molly Ringwald e Rob Lowe) e muito sucesso em 1994.

A trama acompanha o extermínio da humanidade por uma praga de laboratório e a luta pela sobrevivência dos poucos que escapam do apocalipse, apenas para descobrir que o Anticristo se prepara para eliminar o que resta da civilização.


A adaptação terá 10 episódios, que serão dirigidos por Josh Boone (“A Culpa É das Estrelas”). O cineasta estava desenvolvendo o projeto para o cinema, mas após anos de negociações e dificuldades de condensar a história, de fôlego épico, optou por uma versão em capítulos. Caso fosse fazer um filme, ele afirmou que precisaria de quatro longa-metragens. 10 capítulos têm basicamente a mesma duração.

O próprio Boone assina o roteiro em parceria com Ben Cavell (roteirista das séries “Justified” e “Homeland”).

O elenco é encabeçado por James Marsden (“X-Men”, “Westworld”), Amber Heard (“Aquaman”), Whoopi Goldberg (“Instinct”), Greg Kinnear (“House of Cards”), Odessa Young (“Assassination Nation”) e o brasileiro Henry Zaga (“13 Reasons Why”).

A estreia vai acontecer ao longo de 2020 na plataforma americana de streaming CBS All Access.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings