Festival Varilux de Cinema Francês chega à sua 10ª edição com programação caprichada


O Festival Varilux de Cinema Francês inicia sua 10ª edição nesta quinta (6/6) com 18 títulos, que serão exibidos em 84 cidades do país.

Em 2010, na primeira edição, o festival cobriu 29 cinemas em 9 cidades e recebeu 45 mil pessoas. Mas, após dez eventos, já se aproxima da marca de 1 milhão de espectadores, que deverá ser atingida até o final da atual edição, marcada para o dia 19.

Para rechear as premières, o festival traz uma pequena delegação francesa, que participará de debates com o público no Rio e em São Paulo.

Entre os convidados, destaca-se Swann Arlaud, vencedor do Cesar de Melhor Ator em 2018, que vem acompanhar a exibição de “Graças a Deus”, o novo filme de François Ozon (“O Amante Duplo”), sobre o caso real de um padre de Lyon que abusou de crianças. O filme venceu do Prêmio do Júri do Festival de Berlim deste ano, estreou antes da condenação dos envolvidos no escândalo e deu muito o que falar na França.

Conhecido do público pelo papel-título em “Yves Saint Laurent”, o ator Pierre Niney é outro que desembarca no Brasil. Ele vem promover “Através do Fogo”, de Frédéric Tellier, em que vive um bombeiro de Paris.

Acompanhado por um dos maiores blockbusters do ano na França, o ator e diretor Pierre Schoeller vem mostrar “A Revolução em Paris” (2018), superprodução que recria bastidores da Revolução Francesa, no século 18. O filme estrelado por Louis Garrel (“O Formidável”) e Adèle Haenel (“A Garota Desconhecida”) é um dos pontos altos da programação, que este ano está realmente mais caprichada.



A seleção também inclui o novo desenho de Asterix, “Asterix e a Poção Mágica”, o drama “Inocência Roubada”, de Andrea Bescond e Eric Métayer, que venceu o César de Melhor Roteiro do ano ao dramatizar as consequências de uma violação sexual sofrida na infância, o filme de guerra “Filhas do Sol”, de Eva Husson, sobre guerrilheiras kurdas, “Quem Você Pensa que Sou”, que é o novo trabalho da atriz Juliette Binoche (“Acima das Nuvens”), e “Amor à Segunda Vista”, de Hugo Gélin, com François Civil e Joséphine Japy, ambos na lista de convidados do festival.

As projeções também incluem a exibição da cópia restaurada de “Cyrano de Bergerac” (1990), estrelado por Gérard Depardieu, em comemoração aos 30 anos de seu lançamento. O filme venceu 10 prêmios César, inclusive o de Melhor Filme, e até um Oscar de Melhor Figurino em 1991.

Por sinal, o clássico dirigido por Jean-Paul Rappeneau se relaciona com outro filme da programação, “Cyrano Mon Amour”, de Alexis Michalik, que conta a história dos bastidores da peça original do Cyrano, escrita por Edmond Rostand no final do século 19.

O detalhe é que “Cyrano Mon Amour” rende uma curiosidade a mais no Brasil, que diz muito sobre a bizarrice dos títulos nacionais. O filme que está sendo lançado por aqui com nome francês se chama… “Edmond”… na França!

A programação completa, com todos os filmes, locais e horários, pode ser conferida no site oficial do Varilux Festival.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings