Euphoria: Zendaya alerta seguidores sobre conteúdo adulto de sua nova série


A atriz Zendaya (a M.J. dos filmes do Homem-Aranha) usou o Instagram para alertar seus seguidores e fãs de suas produções adolescentes a respeito do conteúdo de sua nova série, “Euphoria”, antes da estreia neste domingo (16/6) no canal pago HBO.

“Apenas um lembrete antes da estreia desta noite, que a ‘Euforia’ é para o público adulto”, escreveu Zendaya. “É um retrato cru e honesto do vício, da ansiedade e das dificuldades de navegar a vida atual. Há cenas que são gráficas, difíceis de assistir e que podem acionar gatilhos emocionais. Por favor, assistam apenas se acharem que podem lidar com isso. Façam o que for melhor para vocês. Eu ainda vou amar e sentir o apoio de vocês de qualquer jeito. Com amor, Daya”.

A produção está sendo descrita como uma série chocante pela crítica americana. A revista The Hollywood Reporter chegou a publicar um artigo perguntando, no título: “O quanto de sexo adolescente e drogas pode ser considerado demais?”

“Difícil de assistir” é uma das frases mais usadas em relação ao primeiro episódio, antecipado para a imprensa. Mas o consenso também aponta que é “difícil de ignorar”. Não faltam comparações com o filme “Kids”, que gerou o mesmo tipo de repercussão em 1995.

“Euphoria” é versão de uma polêmica série israelense de mesmo nome, com adaptação de Sam Levinson, diretor e roteirista de “Assassination Nation”, sensação do Festival de Sundance de 2018 sobre a fúria da juventude da era digital.

Na atração, Zendaya contracena com Eric Dane (ex-“Grey’s Anatomy” e “The Last Ship”) e um punhado de adolescentes famosos, como Sydney Sweeney (série “Everything Sucks!”), Storm Reid (“Uma Dobra no Tempo”), Maude Apatow (de “Bem-Vindo aos 40” e filha de Judd Apatow), Jacob Elordi (“A Barraca do Beijo”), Lukas Gage (“Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi”), Brian “Astro” Bradley (“Terra para Echo”) e McKenna Roberts (“Arranha-Céu: Coragem sem Limites”).


O lançamento deste domingo é a segunda atração israelense que a HBO adapta para os Estados Unidos. A primeira foi “BeTipul”, que foi batizada de “In Treatment” (2008-2010). Esta série também teve uma versão brasileira, chamada de “Sessão de Terapia” (2012-2014) e exibida no canal pago GNT.

Ver essa foto no Instagram

Please read

Uma publicação compartilhada por Zendaya (@zendaya) em



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings