Siren é renovada para sua 3ª temporada



O canal pago Freeform anunciou a renovação de “Siren” para sua 3ª temporada.

A série está atualmente em hiato de midseason e voltará a exibir a segunda metade de sua 2ª temporada em 13 de junho.

A primeira metade registrou pequena queda de audiência em relação à temporada inaugural, com média de 505 mil telespectadores ao vivo e 0,7 ponto na demo (a faixa demográfica de adultos entre 18 e 49 anos, mais relevante para os anunciantes). Cada ponto inteiro equivale a 1,3 milhão de público adulto qualificado na medição da consultoria Nielsen.

Parece baixo, mas é a média mais alta de audiência ao vivo atual do canal.

Não por acaso, a 2ª temporada voltou maior, com 16 episódios em vez dos 10 do primeiro ano.


“Siren” é baseada numa história dos produtores Dean White (série “The 100”) e Eric Wald (roteirista de “Voando Alto”), redesenvolvida por Emily Whitesell (roteirista da série “Finding Carter”). A trama se passa em Bristol Cove, uma cidade costeira conhecida pela lenda de um dia ter abrigado sereias. Quando a chegada de uma garota misteriosa prova que este folclore tem fundo verdadeiro, fica claro que as sereias são predadores trazidas à tona pela pesca que ameaça seu meio-ambiente.

O elenco destaca Alex Roe (“A 5ª Onda”) como Ben, um jovem biólogo marinho que se vê atraído por Ryn, a nova garota misteriosa da cidade, interpretada por Eline Powell. Como curiosidade, a atriz também viveu uma sereia no filme “Rei Arthur: A Lenda da Espada”. Os dois acabam envolvidos numa relação poliamorosa com a namorada de Ben, vivida por Fola Evans-Akingbola (série “Death in Paradise”).

Além deles, integram a produção Sibongile Mlambo (série “Black Sails”), Ian Verdun (visto na série “Lucifer”), Rena Owen (“O Último Caçador de Bruxas”), Gil Birmingham (“Terra Selvagem”), David Cubitt (série “Medium”), Patrick Gallagher (“Uma Noite no Museu 3”) e Tammy Gillis (série “Ghost Wars”).

No Brasil, “Siren” é exibida pelo canal pago Sony.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings