Disney assume o controle total da plataforma Hulu



A Disney entrou em acordo com a Comcast e assumiu 100% do controle da plataforma Hulu. Depois da compra da Fox, em uma das maiores fusões da indústria do entretenimento, agora a empresa consolida sua presença no mercado de streaming, com um plano de disponibilizar três serviços complementares: ESPN+, o vindoura Disney+ e Hulu.

O anúncio da negociação foi feito nesta terça (14/5) em comunicado conjunto da Disney e da Comcast.

“Agora podemos integrar completamente nosso negócio e ter uma noção da força dos produtos da The Walt Disney Company para agregar ainda mais valor do serviço aos consumidores”, disse Bob Iger, CEO da Disney.

As duas empresas já tinham chegado a um acordo anterior para assimilar a fatia de 10% que pertencia à Warner, em negociação com a outra gigante do entretenimento no mês passado.

Agora, fecharam um negócio que dá à Disney o controle sobre os 33% que remanesciam com a Comcast. Mas o pagamento só vai acontecer em 2024, ao valor das ações da companhia nesta data.

Um dos entraves para a compra era justamente a expectativa de valorização da Hulu. A Comcast aposta que a Disney vai internacionalizar a plataforma com sua estratégia de lançamento casado e espera receber uma fatia maior de dinheiro daqui a cinco anos. O atual acordo garante um valor mínimo de US$ 27,5 bilhões para a Hulu, em comparação aos US$ 15 bilhões atualmente estimados.



O negócio também é vantajoso para a Disney, que acaba de gastar uma fortuna para comprar a Fox. Assim, teria cinco anos para se capitalizar antes de fazer um novo investimento pesado.

Pelo acordo, a Comcast não vai mais participar das discussões sobre o rumo da empresa, mas continuará licenciando seu conteúdo na plataforma até 2024 – e por um preço menos módico.

A saída também é estratégica para a Comcast, que pretende lançar sua própria plataforma de streaming entre 2020 e 2021, com o conteúdo da NBCUniversal e da Sky.

Principal concorrente da Netflix e Amazon Prime Video nos Estados Unidos, a Hulu tem um grande catálogo de filmes e séries, além de títulos exclusivos, como “Castle Rock” e “The Handmaid’s Tale”.

A Disney considera o acordo importante para seu modelo de negócios, pois pretende disponibilizar material adulto (na verdade, não juvenil) na plataforma, separando assim os públicos da Disney+ e da Hulu. Séries do canal pago FX, por exemplo, terão endereço certo na Hulu daqui para frente.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings