Oscar 2019 não teve ter apresentador oficial



Após a decisão de Kevin Hart (“Jumanji: Bem-Vindo à Selva”) de desistir de apresentar o Oscar 2019, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas deve realizar a cerimônia sem um anfitrião oficial.

De acordo com algumas pessoas ouvidas pela revista Variety, os produtores do evento planejam trocar a figura do apresentador fixo por uma lista de astros e estrelas para introduzir os segmentos pré-gravados, performances musicais e premiações da noite.

O Oscar já foi realizado sem apresentador oficial anteriormente. E mais de uma vez: nos anos de 1939, 1969, 1970, 1971 e 1989.

Vale considerar que o formato com apresentador já tinha se tornado maleável, ao também contar com a participação de atores convidados para anunciar cada categoria. Na prática, a eliminação de um anfitrião agilizaria o evento.


A opção por contar com diversas estrelas já rendeu saia justa. A Academia avisou a seus membros que quem decidisse apresentar o Globo de Ouro ficaria fora da cerimônia do Oscar. As únicas exceções aceitas seriam a integrantes de filmes concorrentes ao prêmio da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood.

A falta de um apresentador pode também ajudar a promover uma das mudanças previstas para a cerimônia deste ano, que revelará alguns premiados de categorias menos empolgantes durante os intervalos comerciais do evento televisionado.

O objetivo é diminuir a duração da premiação e se concentrar em seus nomes mais conhecidos. A cerimônia do ano passado foi a menos vista da história, vista por 26,5 milhões de telespectadores nos Estados Unidos.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings