Filha de Johnny Depp é indicada a prêmio no “Oscar francês”



A Academia do Cinema Francês divulgou os indicados ao César 2019, o “Oscar do cinema francês”, que destacam “Le Grand Bain”, de Gilles Lelouche, e “Custódia”, de Xavier Legrand, como os trabalhos que disputam mais prêmios.

O primeiro é uma comédia sobre um grupo de homens de meia idade que formam um time de nado sincronizado, enquanto o segundo trata a separação turbulenta de um casal como um suspense dramático. Ambos conseguiram dez indicações.

Entre os destaques da premiação, há uma participação curiosa de Lily-Rose Depp, filha dos atores Johnny Depp e Vanessa Paradis. A curiosidade é que a Academia francesa a considera uma eterna revelação.

Um ano após ser indicada como Revelação por “La Danseuse”, Lily-Rose volta a disputar a mesma categoria por “L’Homme Fidèle”, filme dirigido por Louis Garrel.

A cerimônia do César 2019 também fará uma homenagem a Robert Redford, célebre ator americano, diretor, produtor e fundador do Festival de Sundance. O evento acontecerá em 22 de fevereiro em Paris.

Confira abaixo os indicados da premiação.

Melhor Filme
“Memórias da Dor”
“The Sisters Brothers”
“Le Grand Bain”
“Guy”
“Custódia”
“Pupille”

Melhor Direção
Emmanuel Finkiel, por “Memórias da Dor”
Pierre Salvadori, por “En Liberté!”
Jacques Audiard, por “The Sisters Brothers”
Gilles Lellouche, por “Le GrandBain”
Alex Lutz, por “Guy”
Xavier Legrand, por “Custódia”
Jeanne Henry, por “Pupille”

Melhor Ator
Edouard Baer, por “Mademoisellle de Joncquières”
Romain Duris, por “A Nossa Espera”
Vincent Lacoste, por “Amanda”
Gilles Lelolouche, por “Pupille”
Alex Lutz, por “Guy”
Pio Marmaï, por “En Liberté!”
Denis Ménochet, por “Custódia”

Melhor Atriz
Élodie Bouchez, por “Pupille”
Cécile de France, por “Mademoiselle de Joncquières”
Léa Drucker, por “Custódia”
Virginie Efira, por “Um Amor Impossível”
Adèle Haenel, por “En Liberté!”
Sandrine Kiberlain, por “Pupille”
Melanie Thierry, por “Memórias da Dor”

Melhor Ator Coadjuvante
Jean-Hughes Anglade, por “Le Grand Bain”
Damien Bonnard, por “En Liberté!”
Clovis Cornillac, por “Les Chatouilles”
Philippe Katerine, por “Le Grand Bain”
Denis Lodalydès, por “Conquistar, Amar e Viver Intensamente”

Melhor Atriz Coadjuvante
Isabelle Adjani, por “O Mundo a Seus Pés”
Leïla Bekhti, por “Le Grand Bain”
Virginie Efira, por “Le Grand Bain”
Audrey Tautou, por “En Liberté!”
Karin Viard, por “Les Chatouilles”

Melhor Revelação Feminina
Ophélie Bau, por “Mektoub, My Love: Canto Uno”
Galatea Bellugi, por “A Aparição”
Jehnny Beth, por “Um Amor Impossível”
Lily-Rose Depp, por “L’Homme Fidèle”
Kenza Fortas, por “Shéhérazade”



Melhor Revelação Masculina
Anthony Bajon, por “A Prece”
Thomas Gioria, por “Custódia”
William Lebghil, por “Primeiro Ano”
Karim Leklou, por “O Mundo a Seus Pés”
Dylan Robert, por “Shéhérazade”

Melhor Filme Estrangeiro
“Três Anúncios para um Crime”
“Guerra Fria”
“Girl”
“Hannah”
“Cafarnaum”
“A Nossa Espera”
“Assunto de Família”

Melhor Roteiro Original
“En liberté!”
“Le Grand Bain”
“Guy”
“Custódia”
“Pupille”

Melhor Roteiro Adaptado
“Les Chatouilles”
“Memórias da Dor”
“The Sisters Brothers”
“Mademoiselle de Joncquieres”
“Um Amor Impossível”

Melhor Animação
“Astérix – Le Secret de la Potion Magique”
“Dilili em Paris”
“Pachamama”

Melhor Documentário
“America”
“Da Chaque Instant”
“Le Grand Bal”
“Ni Juge, Ni Soumise”
“O Estado Contra Mandela e os Outros”

Melhor Filme de Estreia
“L’Amour Flou”
“Les Chatouilles”
“Custódia”
“Savage”
“Sheherazade”

Melhor Trilha Sonora
“Amanda”
“En liberté!”
“The Sisters Brothers”
“Guy”
“Pupille”
“Um Amor Impossível”

Melhor Fotografia
“Memórias da Dor”
“The Sisters Brothers”
“Le Grand Bain”
“Custódia”
“Mademoiselle de Joncquieres”

Melhor Figurino
“Memórias da Dor”
“The Emperor of Paris”
“The Sisters Brothers”
“Mademoiselle de Joncquieres”
“Un Peuple et son Roi”

Melhor Edição
“Les Chatouilles”
“En liberté!”
“The Sisters Brothers”
“Le Grand Bain”
“Custódia”

Melhor Som
“Memórias da Dor”
“The Sisters Brothers”
“Le Grand Bain”
“Guy”
“Custódia”


Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings