Drama brasileiro Sócrates é indicado ao Spirit Awards, o “Oscar” do cinema indie americano



O Spirit Awards, principal prêmio do cinema independente americano, considerado o Oscar indie, divulgou sua lista de indicações aos troféus de melhores do ano. E o drama brasileiro “Sócrates”, longa de estreia do diretor Alex Moratto, apareceu listado em quatro categorias.

O destaque ficou para o jovem ator Christian Malheiros, que apesar de ser estreante concorre com Joaquin Phoenix (“Você Nunca Esteve Realmente Aqui”), Ethan Hawke (“First Reformed”), John Cho (“Buscando”) e Daveed Diggs (“Ponto Cego”) ao troféu de Melhor Ator.

“Sócrates” também foi indicado na categoria de Diretor Revelação e no prêmio especial John Cassavetes, dedicado a produções com orçamento inferior a US$ 500 mil. Além disso, Alex Moratto foi listado como uma das “Pessoas para seguir”, ao lado dos diretores Ioana Uricaru, de “Lemonade”, e Jeremiah Zagar, de “We the Animals”, os mesmos com quem disputa o prêmio de Diretor Revelação.

Focado num jovem negro homossexual de 15 anos, morador da periferia de Santos, que precisa sobreviver sozinho após a morte da mãe, “Sócrates” foi rodado por apenas US$ 20 mil, mas impressionou a crítica norte-americana ao passar por festivais como Los Angeles e Montreal, e acabou premiado no Rio, Mostra de São Paulo, Woodstock (EUA) e Thessaloniki (Grécia).

“É um filme muito pessoal para mim. Escrevi o roteiro após a morte da minha mãe. Foi algo muito importante para mim, algo que precisei expressar muito”, afirmou Moratto em entrevista durante a Mostra de São Paulo.

Como se sabe, infelizmente “Socrates” não poderá aproveitar esse impulso para tentar o Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. O Ministério da Cultura deixou a Academia Brasileira de Cinema indicar “O Grande Circo Místico” como candidato do país ao Oscar da categoria. Nem vem ao caso, mas nunca é demais lembrar que “O Grande Circo Místico”, do veterano Cacá Diegues, teve recepção oposta ao do filme do estreante Moratto, destruído pela crítica norte-americana e premiado em… lugar algum.

Os filmes com mais indicações ao Spirit foram “We the Animals”, de Jeremiah Zagar, com cinco, seguido por “Oitava Série”, “First Reformed” e “Você Nunca Esteve Realmente Aqui”, com quatro cada um.

A lista também inclui o terror “Hereditário”, o drama “Se a Rua Beale Falasse”, que é o novo filme do diretor Barry Jenkins (de “Moonlight”), e até “O Conto”, exibido na TV pela HBO. E já traz um resultado: o remake de “Suspiria”, de Luca Guadagnino, será homenageado com o troféu Robert Altman, dedicado ao melhor conjunto de elenco e diretor do ano.

A cerimônia de premiação acontecerá no dia 23 de fevereiro, na praia de Santa Monica, na Califórnia, um dia antes da apresentação dos vencedores do Oscar.

Confira abaixo a lista de indicados nas principais categorias do Spirit Awards.

Melhor Filme
“Oitava Série”
“First Reformed”
“Se a Rua Beale Falasse”
“Não Deixe Rastros”
“Você Nunca Esteve Realmente Aqui”

Melhor Filme de Estreia
“Hereditário”
“Sorry to Bother You”
“O Conto”
“We the Animals”
“Vida Selvagem”

Melhor Diretor
Debra Granik (“Não Deixe Rastros”)
Barry Jenkins (“Se a Rua Beale Falasse”)
Tamara Jenkins (“Mais uma Chance”)
Lynne Ramsay (“Você Nunca Esteve Realmente Aqui”)
Paul Schrader (“First Reformed”)

Melhor Roteiro
Richard Glatzer, Rebecca Lenkiewicz e Wash Westmoreland (“Colette”)
Nicole Holofcener e Jeff Whitty (“Poderia me Perdoar?”)
Tamara Jenkins (“Mais uma Chance”)
Boots Riley (“Sorry to Bother You”)
Paul Schrader (“First Reformed”)



Melhor Atriz
Glenn Close (“A Esposa”)
Toni Collette (“Hereditário)
Elsie Fisher (“Oitava Série”)
Regina Hall (“Support the Girls”)
Helena Howard (“Madeline’s Madeline”)
Carey Mulligan (“Vida Selvagem”)

Melhor Ator
Joaquin Phoenix (“Você Nunca Esteve Realmente Aqui”)
Christian Malheiros (“Sócrates”)
Ethan Hawke (“First Reformed”)
John Cho (“Buscando…”)
Daveed Diggs (“Ponto cego”)

Diretor Revelação
Alex Moratto (“Sócrates”)
Ioana Uricaru (“Lemonade”)
Jeremiah Zagar (“We the Animals”)

Roteirista Revelação
Bo Burnham (“Oitava Série”)
Christina Choe (“Nancy”)
Cory Finley (“Puro-Sangue”)
Jennifer Fox (“O Conto”)
Quinn Shephard & Laurie Shephard (“Blame”)

Melhor Fotografia
Ashley Connor (“Madeline’s Madeline”)
Diego Garcia (“Wildlife”)
Benjamin Loeb (“Mandy”)
Sayombhu Mukdeeprom (“Suspiria”)
Zak Mulligan (“We the Animals”)

Melhor Edição
Joe Bini (“Você Nunca Esteve Realmente Aqui”)
Keiko Deguchi, Brian A. Kates e Jeremiah Zagar (“We the Animals”)
Luke Dunkley, Nick Fenton, Chris Gill e Julian Hart (“American Animals”)
Anne Fabini, Alex Hall e Gary Levy (“O Conto”)
Nick Houy (“Mid90s

Melhor Filme Internacional
“Em Chamas” (Coreia do Sul)
“A Favorita” (Reino Unido)
“Feliz como Lázaro” (Itália)
“Roma” (México)
“Assunto de Família” (Japão)

Melhor Documentário
“Hale County This Morning, This Evening”
“Minding the Gap”
“Of Fathers and Sons”
“On Her Shoulders”
“Shirkers”
“Won’t You Be My Neighbor?”

Prêmio John Cassavetes (melhor filme com orçamento inferior a US$ 500 mil)
“A Bread Factory”
“En el Séptimo Día”
“Never Goin’ Back”
“Sócrates”
“Thunder Road”

Prêmio Robert Altman (melhor conjunto de elenco e diretor)
“Suspiria”

Prêmio Alguém para Seguir
Alex Moratto (“Sócrates”)
Ioana Uricaru (“Lemonade”)
Jeremiah Zagar (“We the Animals”)

Prêmio Mais Verdade que a Ficção
Alexandria Bombach (“On Her Shoulders”)
Bing Liu (“Minding the Gap”)
RaMell Ross (“Hale County This Morning, This Evening”)

Prêmio Piaget de Produção
Jonathan Duffy e Kelly Williams
Gabrielle Nadig
Shrihari Sathe

Prêmio Bonnie
Debra Granik
Tamara Jenkins
Karyn Kusama



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings