Renda do filme O Que de Verdade Importa ajudará instituições que cuidam de crianças com câncer no Brasil

O filme “O Que de Verdade Importa” (The Healer), que chega aos cinemas brasileiros no próximo dia 27 de setembro, terá toda a renda obtida com a venda de seus ingressos revertida para instituições que cuidam de crianças com câncer no país.

Várias regiões do Brasil serão beneficiadas. Em São Paulo, a renda da bilheteria vai para a TUCCA (Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer). No Rio, o Instituto Desiderata será beneficiado. O GACC (Grupo de Apoio à Criança com Câncer) receberá verba na Bahia. No Recife, o beneficiário será o NACC (Núcleo de Apoio à criança com Câncer). Em Curitiba, o HPP (Hospital Pequeno Príncipe). Em Porto Alegre, o Hospital da Criança Santo Antônio, em Porto Alegre. E em Campo Grande, o HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão).

A ideia partiu do diretor do longa, o espanhol Paco Arango (“Maktub”) que, além de seu trabalho no cinema, preside na Espanha a Fundação Aladina, uma entidade que há mais de dez anos ajuda crianças e adolescentes com câncer.

O longa já foi exibido em sete países com arrecadação de cerca de US$ 10 milhões, toda distribuída para entidades que cuidam de crianças com câncer.

“O Que de Verdade Importa” conta a história do engenheiro Alec Bailey (Oliver Jackson-Cohen, da série “Emerald City”), que mora em Londres e tenta, sem muito êxito, ganhar a vida consertando eletrodomésticos. Afogado em dívidas, ele acaba recebendo a ajuda de Raymond Heacock (Jonathan Pryce, de “Game of Thrones”), um tio desconhecido que lhe propõe pagar tudo, desde que Alec se mude para uma pequena cidade na Nova Escócia, no Canadá, por pelo menos um ano. Desconfiado, mas sem muitas opções, ele aceita a proposta e inicia uma incrível jornada de descoberta, aprendizado e redenção ao lado de Cecilia (Camilla Luddington, de “Grey’s Anatomy”), a veterinária da cidade, que por um descuido faz com que todos acreditem que ele tem o dom da cura. E é aí que entra a conexão com a causa beneficente: uma garota com câncer (Kaitlyn Bernard, de “1922”) surge para lhe mostrar o que ele pode fazer com este suposto dom.

Veja o trailer abaixo, em versões legendada e dublada.

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings