Após denunciar pedófilo, Olivia Munn reclama de falta de apoio do elenco de O Predador


Olivia Munn passou uma semana agitada, sentindo-se isolada e temendo a fama de “difícil”. Depois de trazer a público seu pedido para a Fox remover uma cena de “O Predador” em que ela contracenou sem saber com um pedófilo condenado, a atriz chegou a reclamar da falta de apoio pessoal que recebeu de seus colegas de elenco e do diretor Shane Black. Eles simplesmente a abandonaram sozinha para promover o filme no Festival de Toronto, após a revelação do caso chegar na imprensa.

A preocupação se devia também ao fato deste ser o segundo caso de abuso denunciado pela atriz. Ela foi uma das seis mulheres que acusaram o diretor Brett Ratner de assédio sexual, o que fez com que ele perdesse um contrato de produção milionário com a Warner.

Mas já na estreia do filme em Los Angeles no Egyptian Theatre, na quarta-feira (12/9), Munn disse ao site da revista The Hollywood Reporter que estava mais encorajada, graças principalmente ao grau substancial de apoio que recebeu nas redes sociais e na imprensa, além de um apoio tardio de seus colegas.

“Fiquei tão impressionado com a resposta nas mídias sociais, fãs, notícias, blogs”, disse Munn ao THR . “Quando algo assim acontece, muitas vezes pode ser polarizador, mas tem sido incrível ver que há muitas pessoas sensatas por aí que estão expressando o mesmo tipo de indignação e compreensão, e também apoio”.

Munn pediu a remoção de sua cena em frente ao ator Steven Wilder Striegel, um amigo de longa data do diretor Shane Black, que foi condenado a seis meses de prisão em 2010 por seduzir sexualmente sua prima de 14 anos por meio de trocas de mensagens online e pessoais. Ao saber do histórico de Streigel, Munn fez seu pedido e o estúdio consentiu, cortando a cena da edição final.

Ela confessou ter ficado aliviada quando o resto do elenco finalmente demonstrou apoiar sua posição. “Sou grato por meus colegas terem falado”, disse ela. “Eu falei com alguns deles em particular, e eles entendem a situação e expressaram seu pesar pela forma como ela aconteceu. E eu acho que eles entendem agora. Mas é uma situação difícil.”

Ao ser perguntado se ela estava satisfeita com a decisão de Black – o diretor-roteirista inicialmente disse que estava apenas tentando apoiar um amigo, depois revisou sua opinião quando soube que as acusações contra a Streigel eram muito mais sérias e perturbadoras do que havia sido representado para ele – , ela fez uma pausa longa antes de oferecer uma resposta dura.


“Eu ainda tenho a minha conversa com ele”, disse ela. “Eu preciso ter uma conversa completa, e então há coisas que eu ainda posso dizer que eu sinto que ele deveria ouvir primeiro, antes de eu dizer em público.”

Black também expressou preocupação sobre a reparação de qualquer falha que tenha cometido com Munn, na esperança de iniciar a reconciliação em particular. “Eu estendi a mão para Olivia, porque sei que devo a ela algum tipo de desculpa”, disse Black ao THR. “Espero que você possa entender que eu preferiria manter essa comunicação entre nós dois em particular”, completou.

De qualquer forma, o cineasta diz assumir a responsabilidade de ter criado uma situação desconfortável para o elenco e a equipe. “Sinto muito, realmente estou, por qualquer dor que causei”, disse ele. “Eu sou o capitão do navio, certo? Então, não importa que esse cara que eu coloquei no filme é um amigo meu. Ele não era franco. Ele não era honesto comigo. Mas isso não importa, porque eu não tenho permissão para tomar uma decisão com base no que eu penso. Eu tinha um cara com um passado criminoso – isso é sensível, para dizer o mínimo – , e eu o coloquei no filme, sem contar ao elenco e à equipe. Isso é culpa minha. Eu assumo total responsabilidade. Isso é irresponsável, e eu não deveria ter feito isso.”

Sterling K. Brown foi o primeiro a divulgar uma declaração pública de apoio a Munn via Instagram, depois que ele soube da situação, em que ela ficou abandonada em Toronto, e disse ao THR que estava satisfeito com a resolução.

“Estou muito feliz que ela tenha dito alguma coisa”, disse a estrela da série “This Is Us”. “Estou muito feliz que um cara que tentou se relacionar com sua prima de 14 anos não esteja em nosso filme, porque muitas pessoas dedicam muito trabalho a isso, e eu não acho que ele deveria estar colhendo os benefícios de nosso trabalho duro”.

Boyd Holbroock também ecoou seu apoio à distância. “A última coisa que queria era que Olivia se sentisse abandonada”, ele disse, num comunicado que começa pedindo desculpas por sua demora em se manifestar. “Eu já disse antes, e vou declarar de novo, estou orgulhosa de Olivia pela maneira como ela lidou com uma situação difícil e alarmante, e agradeço que Fox tenha levado a informação a sério e agido rapidamente.”

Diante de todo esse noticiário negativo, o filme está sendo destruído pela crítica americana. Tinha apenas 41% de aprovação na quinta, mas 24 horas depois caiu ainda mais no conceito dos críticos, com 39% na média de opiniões registrada pelo site Rotten Tomatoes.



Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.



Back to site top
Change privacy settings