Diretor de Operação Red Sparrow vai filmar história bizarra da sex tape de Hulk Hogan

 

O cineasta Francis Lawrence (“Jogos Vorazes: A Esperança” e “Operação Red Sparrow”) vai filmar uma das maiores e mais estranhas ações judiciais já vencidas contra a mídia norte-americana. Ele se juntou ao roteirista Charles Randolph (vencedor do Oscar por “A Grande Aposta”) para levar às telas o processo movido pelo ator e astro da luta livre Hulk Hogan contra a empresa Gawker Media em 2012.

A empresa responsável pelo portal Gawker foi condenada a pagar US$ 140 milhões por divulgar uma sex tape de Hogan com a esposa do radialista Bubba the Love Sponge. Após perder na justiça, a Gawker negociou um desconto diretamente com o Hogan, mas mesmo assim faliu.

A narrativa tem ainda o envolvimento do marido traído, que foi quem gravou o vídeo – no qual pode ser ouvido falando que aquele era o bilhete premiado de sua aposentadoria milionária. Hogan também o processou, junto com a esposa, por violação de privacidade.

Para ir adiante na justiça, Hogan ainda contou com apoio financeiro do milionário Peter Thiel, que fez fortuna como investidor do Facebook e se tornou um dos fundadores do Paypal. Thiel decidiu apoiar Hogan após a Gawker o tirar do armário com uma reportagem sensacionalista sobre sua sexualidade.

A história teve tantas ramificações que inspirou um documentário, “Nobody Speak: Trials of the Free Press” (2017), sobre como o julgamento também atingiu a liberdade de imprensa.

Segundo comunicado assinado por Lawrence, o filme será baseado no livro “Conspiracy: Peter Thiel, Hulk Hogan, Gawker, and the Anatomy of Intrigue”, de Ryan Holiday.

“Quando li o livro extraordinário de Ryan, fiquei totalmente impressionado com essa história, um conto extremamente contemporâneo, e imediatamente tive uma visão disso como um filme”, disse Lawrence, no texto sobre o projeto. “É uma história importante e significativa, que eu estou animado para contar”.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings