Estrelas de Hollywood condenam Quentin Tarantino após denúncias de Uma Thurman

 

Diversas personalidades de Hollywood usaram o Twitter para manifestar apoio a Uma Thurman, após as revelações da entrevista publicada no sábado (3/2) no jornal The New York Times, que apenas da denuncia de abuso sexual de Harvey Weinstein, mas principalmente sobre como Quentin Tarantino quase causou sua morte nas filmagens de “Kill Bill”.

As atrizes Jessica Chastain e Asia Argento e o diretor Judd Apatow foram as vozes mais ferozes a reagir contra o tratamento dispensado por Tarantino à estrela de “Kill Bill”. Na entrevista, Uma Thurman revelou que sofreu um acidente grave após ser forçada pelo cineasta a dirigir um carro por uma estrada de terra apenas para registrar um take em que aparece de costas. Ela afirma que até hoje tem sequelas físicas devido à batida do carro.

Uma Thurman também revelou que Tarantino cuspiu nela e a enforcou, substituindo os atores nas cenas em que estas coisas aconteciam com ela no filme. Ela contextualiza a situação, lembrando isto se deu logo após ela relatar ao diretor que Harvey Weinstein a tinha assediado.

Jessica Chastain ficou incomodada com este relato. “Eu fico imaginando Tarantino cuspindo no rosto de Uma e a estrangulando com uma corrente em ‘Kill Bill’. Quantas imagens de mulheres celebramos na mídia como casos típicos de abuso? Quando isso se tornou ‘entretenimento’ normal?”, ela tuitou.

“Diretores que se inserem numa cena que descreve abuso cruzam um limite. Como um ator pode se sentir seguro quando o próprio diretor o estrangula?”, continuou.

Judd Apatow, por sua vez, lembrou que Tarantino ignorou as alegações de Daryl Hannah, que também atuou em “Kill Bill”, sobre assédio de Weinstein. “Eles a tiraram da divulgação do filme na imprensa. Ninguém a ajudou. E agora Tarantino vai fazer um filme sobre Polanski. Por que alguém está financiando isso? É por isso que Weinstein não foi impedido”, ele escreveu, referindo-se também ao próximo filme de Tarantino, sobre Charles Manson, que terá Polanski entre seus personagens.

Evan Rachael Wood preferiu louvar a força de Uma Thurman. “Você sempre foi uma inspiração pra mim. Obrigado por sua honestidade brutal. Não apenas sobre Harvey, mas sobre os riscos que às vezes corremos com nossas vidas”.

Já Asia Argento, uma das primeiras mulheres a denunciar publicamente ter sido estuprada por Weinstein, não mediu palavras, indo direto na jugular. “Weinstein e Tarantino, que par! Um estuprador em série e um quase assassino. Não é brincadeira o que esses criminosos abomináveis ​​fizeram a Uma Thurman, antes e depois de ‘Kill Bill’. Eles colocaram sua vida, sua dignidade, sua sanidade em perigo. Queimem no inferno, doentes malditos”.

Veja abaixo os tuítes originais:

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.

Back to site top
Change privacy settings