Cinco atrizes acusam James Franco de abuso sexual

 

A vitória de James Franco como Melhor Ator de Comédia por “Artista do Desastre”, no Globo de Ouro 2018, deixou muita gente indignada. Após as denúncias de abusos ventiladas no Twitter, cinco mulheres acusaram o ator de assédio sexual numa reportagem do jornal Los Angeles Times publicada nesta quinta-feira (11/1).

Quatro das acusadoras cursaram a escola de atuação Franco’s Studio 4, fundada em 2014 pelo artista, enquanto a quinta disse ao jornal que considerava Franco um “mentor”.

Sarah Tither-Kaplan, que havia denunciado Franco no Twitter, explicou ao jornal que foi escalada para atuar no filme “The Long Home” como prostituta e depois foi chamada para fazer uma cena “bônus” onde representaria uma orgia com Franco simulando sexo oral em diversas mulheres. A atriz disse que Franco removeu o tapa-sexo que cobria sua vagina e continuou a simular o sexo oral sem proteção.

Em outro momento, as atrizes foram instruídas a fazer topless e a dançar ao redor de Franco, em uma cena que não estava originalmente no roteiro. “Eu percebi rapidamente que, OK, você não diz ‘não’ para este cara”, afirmou Tither-Kaplan.

Katie Ryan, que também estudou na Studio 4, disse que Franco dava a entender que todas teriam chance em algum filme se elas estivessem dispostas a encenar atos sexuais ou fazerem topless. Ela disse ainda que Franco sempre enviava e-mails em massa sobre audições para papeis de prostitutas.

Outras duas mulheres, Hilary Dusome e Natalie Chmiel, também reclamaram do comportamento do ator quando ele dava aulas de atuação no Playhouse West, antes de fundar a Studio 4. Elas disseram que, em uma ocasião, Franco pediu que as meninas tirassem as blusas, porém nenhuma delas aceitou. Segundo Chmiel, o ator ficou visivelmente nervoso com a negativa.

As denúncias surgiram após James Franco ir ao Globo de Ouro com o broche do movimento “Times Up”, criado para ajudar vítimas de assédio sexual em Hollywood. A primeira pessoa a denunciar o ator foi a atriz Violet Paley, ainda durante a premiação do Globo de Ouro.

“Que fofo esse pin do #TimesUp, James Franco”, ela escreveu no Twitter, acrescentando: “Você se lembra de quando empurrou a minha cabeça para perto do seu pênis exposto no carro? E aquela outra vez em que você falou para uma amiga minha ir até o seu hotel quando ela tinha 17 anos? Isso depois de você já ter sido pego fazendo aquilo com outra menina de 17 anos?”

Ao jornal, Violet Paley deu mais detalhes. “Eu estava conversando com ele quando, de repente, seu pênis estava para fora. Eu fiquei realmente nervosa e disse: ‘Podemos fazer isso depois?’. Ele estava abaixando a minha cabeça e eu não queria que ele me odiasse, então eu fiz isso”.

A atriz Ally Sheedy, estrela do clássico adolescente “Clube dos Cinco” (1985), também publicou tuítes sobre supostos abusos de Franco, mas os apagou e não quis comentar mais sobre o assunto. “James Franco acaba de ganhar. Por favor, nunca me perguntem por que eu deixei a indústria de cinema/TV”, ela escreveu, durante a exibição do Globo de Ouro na TV. “Ok, espera. Tchau. Christian Slater e James numa mesa no Globo de Ouro. #MeToo. Por que um homem está apresentando [a cerimônia]? Por o James Franco foi autorizado a entrar? Já falei demais. Boa noite, amo vocês”.

O advogado do artista contestou as acusações e lembrou os comentários feitos por Franco em entrevista a Stephen Colbert após a premiação. Na ocasião, ele abordou os tuítes. “Eu não tenho ideia do que fiz à Ally Sheedy. Eu não tive nada além de um ótimo tempo com ela. Tenho total respeito e não sei porque ela ficou chateada. Mas ela apagou o tuíte e não posso falar por ela”.

Sobre as demais, o ator disse que “assume a responsabilidade pelos seus atos” e que está sempre disposto a se corrigir quando comete erros. Mas ressaltou: “As coisas que ouvi falar, que estão no Twitter, não estão corretas”.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.

Back to site top
Change privacy settings