Primeiro teaser da série Dear White People rende campanha de boicote contra a Netflix

 

A Netflix divulgou o primeiro teaser da série baseada na comédia indie “Cara Gente Branca” (2014), que critica o racismo, e o resultado foi uma reação racista. O trailer que ataca o uso de “blackface”, manifestação em que pessoas brancas pintam seus rostos de preto para imitar negros, e que também mostra negros arrancando dreadlocks falsos de brancos, irritou… usuários brancos, que inciaram uma campanha de boicote à plataforma.

Alguns usuários relataram no Twitter que estão cancelando suas assinaturas da Netflix porque o programa é “anti-brancos” e promove o “genocídio de pessoas brancas”. Genocídio significa extermínio de uma raça por meio de assassinato em massa.

Diante da polêmica, o vídeo superou 3 milhões de visualizações no YouTube, das quais 10% registraram a opção de “desgostar” do conteúdo. Em comparação, apenas 1% assinalou ter “gostado”. Mas os comentários na página são bem divididos. Por um lado, brancos juram que só negros são racistas “hoje em dia”, enquanto negros morrem de rir desses comentários.

A série tem o título original do filme, “Dear White People”, que foi premiado no Festival de Sundance de 2014. O diretor e roteirista do longa, Justin Simien, assina todos os textos e a direção do capítulo de estreia.

Totalmente independente, o filme original foi feito por meio de financiamento coletivo e contava a história de quatro jovens negros que ingressam na universidade e se deparam com o racismo da instituição. Quando os alunos brancos decidem dar uma festa temática sobre a raça negra, os quatro se mobilizam e passam a questionar tudo, inclusive o pensamento politicamente correto e condescendente a respeito da diversidade racial.

“Cara Gente Branca” também foi premiado como Melhor Roteiro de Estreia no Spirit Awards (o Oscar indie) de 2015. Mesmo assim, foi lançado no Brasil apenas em VOD (video on demand).

Por sinal, o trailer da série não foi disponibilizado para o mercado brasileiro, por isso encontra-se sem legendas. A estreia está marcada para 28 de abril.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings