Nikki Reed celebra amizade com Nina Dobrev com denúncia da cultura do ódio dos sites de celebridades

A atriz Nikki Reed resolveu acabar de vez com os boatos de brigas e que seu ciúme do marido Ian Somerhalder teria sido responsável pela saída de Nina Dobrev da série “The Vampire Diaries”. Alguns rumores chegaram até a dizer que ela tinha ameaçado se separar de Ian Somerhalder, caso o ator continuasse a ter cenas românticas com Dobrev na série. Vale lembrar que o relacionamento dos personagens Damon e Elena foi transportado para a vida real de seus intérpretes, que namoraram por vários anos, antes de Ian se casar com Nikki.

Mas a vampira da saga “Crepúsculo” jura que foi tudo intriga, que é grande amiga da vampira de “The Vampire Diaries” e que o suposto triângulo romântico é, na verdade, um belo círculo de amizade na vida real. Além de escrever um longo desabafo no Instagram, ela postou a foto de “los 3 amigos” juntos para ilustrar o textão, que acerta sua crítica na jugular das publicações focadas em fofocas e direcionadas ao público de mulheres jovens. A iniciativa é praticamente uma campanha para acabar com a cultura de perpetuação de ódio e raiva entre as mulheres, fomentadas pela indústria da cultura de fofocas de celebridades.

“Nos últimos anos nós optamos por tratar todos os rumores sem fundamentos com silêncio, achávamos que era a melhor maneira”, escreveu a atriz em sua postagem no Instagram. “Além disso, quem perderia tempo respondendo histórias inventadas sobre amigos de bastidores, ex-namorado ou membros de elenco, baboseiras escritas pelo Hollywood Life que são apenas pessoas perpetuando coisas sem procedência”.

“Vejo agora que o silêncio foi tomado como uma oportunidade para preencher os espaços em branco com ainda mais falsidades”, continuou. “Acredito que temos uma responsabilidade moral de acabar com essa narrativa, porque no final de tudo disso… é a a paixão e devoção sem fim para um programa de TV que está sendo aproveitada e substituída por sentimentos de raiva por meio de técnicas de divisão, e pior ainda, mentes estão sendo moldadas… [para formar] mulheres que odeiam mulheres. Porque no final do dia, é disso que se trata: ensinar as meninas que você tem que odiar outras meninas só gera uma geração de mulheres que acreditam que você tem que odiar outras mulheres. E é isso que essas revistas, sites e blogs não entendem. Essa é a consequência nociva de suas histórias de treta e temos uma responsabilidade moral de corrigir isso. Vamos virar esta página juntos. E, finalmente, vamos usar isso como um exemplo de como é importante parar esta tendência de escrever manchetes horríveis sobre as mulheres, pintando-as como amargas, raivosas, inseguras, desoladas, sem filhos, brigando, traindo… É uma vergonha para esses sites, por visarem um demografia muito jovem, incutir isso em uma idade precoce, quando as meninas são ainda mais suscetíveis, mais vulneráveis ​​e mais maleáveis. Quando escrevem estas manchetes, ensinam ódio. Vamos mudar o que colocamos no universo a partir de agora, e espero que a gente comece a ver uma mudança na forma como tratamos uns aos outros e como vemos a nós mesmos”.

Uau!

For the last few years we thought addressing any baseless rumors with silence was the best way. Besides, who wants to respond to made up stories about "friends backstabbing friends", "cheating exes", or "cast members exiting shows" on low-brow websites like hollywoodlife that are just perpetuating trends that preceded us. Yuck. I now see that silence was taken as an opportunity to fill in the blanks with even more falsities, and juicer stories, and we, yes WE, believe we have a moral responsibility to young girls to end that narrative, because at the end of all of this, those young girls are the ones who lose. Their passion and endless devotion for a tv show is being taken advantage of, replaced with feelings of anger through divisive techniques, & even worse, their minds are being shaped & molded as their view of themselves, other girls, & what those dynamics should look like are being formed. So here's to putting an end to all those fake stories of on set jealousy, betrayal, made-up-friendships lost & women hating women. Because at the end of the day, that's what this is about: teaching girls that you have to hate other girls only breeds a generation of women who believe you have to hate other women. And that's what these magazines, websites and blogs don't understand. That is the harmful unintended consequence of their bullshit stories and we have a moral responsibility to fix that. Let's turn this page together, as we all walk into the next chapter peacefully. And finally, let's use this as an example of how important it is to stop this trend of writing horrible headlines about women, painting us as bitter, angry, insecure, heartbroken, childless, feuding, backstabbing monsters because whether we want to admit it or not, it changes the way all women view themselves. And shame on these websites for now targeting an even younger demographic, instilling this at an earlier age when girls are even more susceptible, more vulnerable and more malleable. When we write these headlines we teach hate. I've seen it firsthand. Let's shift what we put into the universe starting now, & hopefully we will start to see a shift in the way we treat each other & view ourselves❤

Uma foto publicada por Nikki Reed (@iamnikkireed) em

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Back to site top
Change privacy settings