Academia convida 11 brasileiros para votar no Oscar 2017


A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood levou a cabo a promessa de sua Presidente Cheryl Boone Isaacs, que, diante da polêmica falta de diversidade entre os indicados ao Oscar 2016, anunciou planos para uma reformulação completa no perfil de seus associados. Buscando trazer maior variedade étnica, sexual e cultural para seus associados, os organizadores do Oscar 2017 convocaram um número recorde de artistas e técnicos para integrar suas fileiras.

Ao todo, 683 pessoas foram convidados a entrar na Academia, dos quais 46% são mulheres e 41% não são brancos.

Divulgada nesta quarta (29/6), a lista inclui 11 brasileiros. Com exceção dos dois cineastas convidados, a maioria já está estabelecida no cinema americano. São eles: o diretor Alê Abreu, cujo filme “O Menino e o Mundo” foi indicado ao Oscar de Melhor Animação em 2016; a cineasta Anna Muylaert, que chamou atenção com a premiação obtida por “Que Horas Ela Volta?” no Festival de Sundance de 2015; o produtor Rodrigo Teixeira, que com sua empresa, a brasileira RT Features, vem se destacando na produção indie americana, tendo ajudado a lançar obras premiadas como “Frances Ha” (2012) e “A Bruxa” (2015); o diretor de fotografia Lula Carvalho, que entrou em Hollywood com “RoboCop” (2014) e “As Tartarugas Ninja” (2014); os montadores Pedro Kos, do documentário vencedor do Oscar “A Praça Tahrir” (2013), e Affonso Gonçalves, dos premiados dramas indies “Carol” (2015) e “O Amor É Estranho” (2014); os compositores Antonio Pinto, de “A Hospedeira” (2013) e “Trash: A Esperança Vem do Lixo” (2015), e Marcelo Zarvos, de “American Ultra: Armados e Alucinados” (2016) e “A Escolha” (2016); do chefe de animação Renato dos Anjos, de “Frozen – Uma Aventura Congelante” (2013) e “Zootopia” (2016); a roteirista Vera Blasi, de “Sabor da Paixão” (2000) e “Imperador” (2012); e o ilustrador Rodolfo Damaggio, que trabalhou em artes conceituais e storyboards de diversos blockbusters, como “Star Wars: Episódio II – Ataque dos Clones” (2002), “Homem de Ferro” (2008), “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” (2008) e “Capitão América: O Primeiro Vingador” (2011).

Entre os brasileiros que já haviam sido convidados para a Academia em anos anteriores estão a atriz Sonia Braga, os diretores José Padilha, Walter Salles, Hector Babenco e Bruno Barreto, o músico Sérgio Mendes e os documentaristas João Moreira Salles e Eduardo Coutinho.


A lista de novos integrantes inclui 283 estrangeiros, representando 59 países diferentes. Alguns nomes já possuem uma vasta coleção de prêmios, como o diretor canadense Xavier Dolan (“Mommy”) e o iraniano Abbas Kiarostami (“Gosto de Cereja”), que surpreendem por só agora serem convidados.

Entretanto, a maioria dos convites foi enviada para jovens talentos de Hollywood, como os atores Andrew Garfield (“O Espetacular Homem-Aranha”), Emma Watson (franquia “Harry Potter”), John Boyega (do novo “Star Wars”), Michael B. Jordan (“Creed – Nascido para Lutar”), Oscar Isaac (“Star Wars – O Despertar da Força”), Mahershala Ali (“Jogos Vorazes: A Esperança – O Final”), Chadwick Boseman (“Capitão América: Guerra Civil”), Idris Elba (“Beasts of No Nation”), Carmen Ejogo (Selma), Freida Pinto (“Quem Quer Ser um Milionário?”), Damon Wayans Jr. (“Como Ser Solteira”) e Marlon Wayans (“Cinquenta Tons de Preto”).

Também são automaticamente credenciados a fazer parte da Academia os vencedores do Oscar do ano que passou.

Os novos integrantes se somam aos cerca de 6,2 mil membros já existentes na responsabilidade de escolher os melhores filmes, atores e técnicos de cinema do ano, na votação do Oscar 2017.



Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna



Back to site top
Change privacy settings