A Forma da Água, de Guillermo del Toro, vence o Critics’ Choice 2018

A Forma da Água, de Guillermo del Toro, vence o Critics’ Choice 2018

 

O Critics’ Choice Awards entregou seus prêmios na noite de quinta (11/1) em Los Angeles, numa cerimônia apresentada pela atriz Olivia Munn (“X-Men: Apocalipse). E os resultados foram muito parecidos com a premiação de domingo passado (7/11), o Globo de Ouro 2018, que também é um prêmio de críticos.

A principal diferença ficou por conta dos discursos menos engajados, das roupas mais coloridas e do troféu principal, de Melhor Filme. Enquanto os críticos estrangeiros preferiram “Três Anúncios para um Crime”, os americanos premiaram “A Forma da Água”, fantasia de Guillermo Del Toro produzida pela Fox Searchlight, que teve direito a recado para a Disney no discurso do produtor J. Miles Dale: “Eu não sei se Bob Iger [CEO da Disney] está aí ou não. Não tenho certeza do que vai acontecer. Mas não estrague isso”.

Del Toro ainda venceu o troféu de Melhor Direção, repetindo a conquista do Globo de Ouro. Também foram iguais os resultados de Melhor Ator e Atriz de Drama, conquistados, respectivamente, por Gary Oldman (“O Destino de uma Nação”) e Frances McDormand (“Três Anúncios de um Crime”). E James Franco (“Artista do Desastre”) voltou a vencer como Melhor Ator de Comédia.

Enfrentando denúncias de assédio, que surgiram após sua premiação no Globo de Ouro, Franco não compareceu ao evento dos críticos e seu troféu acabou recebido por Walton Goggins (“Vice Principals”) em seu nome.

A Melhor Atriz de Comédia foi Margot Robbie (“Eu, Tonya”), marcando uma diferença em relação aos críticos estrangeiros, que preferiram Saoirse Ronan (“Lady Bird”). Já os coadjuvantes foram os mesmos de domingo: Allison Janney (“Eu, Tonya”) e Sam Rockwell (“Três Anúncios de um Crime”).

A maior divergência, porém, ficou por conta da vitória de “Doentes de Amor” como Melhor Comédia. O filme nem tinha sido indicado ao Globo de Ouro. Por conta disso, “Lady Bird”, que venceu a categoria no domingo, acabou sem nenhum troféu do Critics’ Choice.

O prêmio dos críticos também inclui produções cinematográficas de outros gêneros, assim “Corra!” venceu como Melhor Terror ou Sci-Fi e “Mulher-Maravilha” como Melhor Filme de Ação. Além disso, a intérprete da heroína, Gal Gadot, foi homenageada no evento, mantendo o empoderamento feminino na pauta da temporada.

Entre os prêmios televisivos, houve ainda maior coincidência. Apenas um troféu importante foi diferente. Ted Danson (“The Good Place”) venceu como Melhor Ator de Comédia, em vez de Aziz Ansari (“Master of None”).

Os demais nomes foram basicamente uma reprise do Globo de Ouro: “Handmaid’s Tale” como Melhor Série e Atriz (Elisabeth Moss) de Drama, “The Marvelous Mrs. Maisel” como Melhor Série e Atriz (Rachel Brosnahan) de Comédia, “Big Little Lies” como Melhor Minissérie, Atriz (Nicole Kidman), Atriz Coadjuvante (Laura Dern) e Ator Coadjuvante (Alexander Skarsgård) de Minissérie, além dos prêmios de Sterling K. Brown (“This Is Us”) como Melhor Ator de Série Dramática e Ewan McGregory (“Fargo”) como Melhor Ator de Minissérie.

Confira abaixo a lista completa dos vencedores.

PREMIAÇÃO DO CRITICS CHOICE AWARDS 2018

CINEMA

MELHOR FILME
“A Forma da Água”

MELHOR DIRETOR
Guillermo del Toro (“A Forma da Água”)

MELHOR ATOR
Gary Oldman (“O Destino de uma Nação”)

MELHOR ATRIZ
Frances McDormand (“Três Anúncios de um Crime”)

MELHOR ATOR EM COMÉDIA
James Franco (“Artista do Desastre”)

MELHOR ATRIZ EM COMÉDIA
Margot Robbie (“Eu, Tonya”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Sam Rockwell (“Três Anúncios de um Crime”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Allison Janney (“Eu, Tonya”)

MELHOR REVELAÇÃO
Brooklynn Prince (“Projeto Flórida”)

MELHOR ELENCO
“Três Anúncios de um Crime”

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
James Ivory (“Me Chame pelo seu Nome”)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Jordan Peele (“Corra”)

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
Roger Deakins “Blade Runner 2049”)

MELHOR FIGURINO
Mark Bridges (“Trama Fantasma”)

MELHOR MONTAGEM
Paul Machliss e Jonathan Amos (“Em Ritmo de Fuga”) e Lee Smith (“Dunkirk”)

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Paul Denham Austerberry, Shane Vieau e Jeff Melvin (“A Forma da Água”)

MELHOR TRILHA SONORA
Alexandre Desplat (“A Forma da Água”)

MELHOR CANÇÃO
“Remember Me” (“Viva – A Vida é uma Festa”)

MELHORES EFEITOS VISUAIS
“Planeta dos Macacos – A Guerra”

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO
“O Destino de uma Nação”

MELHOR ANIMAÇÃO
“Viva – A Vida É uma Festa”

MELHOR COMÉDIA
“Doentes de Amor”

MELHOR FILME DE AÇÃO
“Mulher-Maravilha”

MELHOR FILME DE TERROR OU SCI-FI
“Corra!”

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
“Em Pedaços” (Alemanha)

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE DE DRAMA
“The Handmaid’s Tale”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE DRAMA
Sterling K. Brown (“This Is Us”)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE DRAMA
Elisabeth Moss (“The Handmaid’s Tale”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE DRAMA
David Harbour (“Stranger Things”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE DRAMA
Ann Dowd (“The Handmaid’s Tale”)

MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA
“The Marvelous Mrs. Maisel”

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA
Ted Danson (“The Good Place”)

MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA
Rachel Brosnahan (“The Marvelous Mrs. Maisel”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Walton Goggins (“Vice Principals”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA
Mayim Bialik (“The Big Bang Theory”)

MELHOR SÉRIE LIMITADA
“Big Little Lies”

MELHOR TELEFILME
“The Wizard of Lies”

MELHOR ATOR EM TELEFILME OU SÉRIE LIMITADA
Ewan McGregory (“Fargo”)

MELHOR ATRIZ EM TELEFILME OU SÉRIE LIMITADA
Nicole Kidman (“Big Little Lies”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM TELEFILME SÉRIE LIMITADA
Alexander Skarsgård (“Big Little Lies”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM TELEFILME SÉRIE LIMITADA
Laura Dern (“Big Little Lies”)

MELHOR SÉRIE ANIMADA
“Rick and Morty”

MELHOR TALK SHOW
“The Tonight Show Starring Jimmy Fallon”

MELHOR REALITY SHOW DESESTRUTURADO
“Born This Way”

MELHOR REALITY SHOW ESTRUTURADO
“Shark Tank”

MELHOR REALITY SHOW DE COMPETIÇÃO
“The Voice”

MELHOR APRESENTADOR DE REALITY SHOW
RuPaul (RuPaul’s Drag Race”)

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna