Atrizes e roteiristas de One Tree Hill acusam criador da série de assédio sexual

Atrizes e roteiristas de One Tree Hill acusam criador da série de assédio sexual

 

O elenco feminino da antiga série “One Tree Hill” (2003–2012), exibida na TV aberta brasileira como “Lances da Vida”, assinou uma carta aberta conjunta acusando o criador do programa, Mark Schwahn, de assédio sexual. Além das atrizes, parte da equipe de produção também assinou o documento.

O texto foi inspirado por tuítes da roteirista Audrey Wauchope, que escreveu para a série em 2011. No sábado, ela citou um showrunner que tocava nela e em outras mulheres de forma inapropriada, mas não deu nome ao produtor, ainda que tenha se sentido “inspirada pela denúncia contra Andrew Kreisberg”, suspenso das séries de super-heróis da rede CW. “Uma das primeiras coisas que nos disseram é que ele contratava roteiristas baseado em suas aparências. É por isso que vocês estão aqui – ele quer comer vocês”.

Após a publicação, as atrizes Sophia Bush, Hilarie Burton e Bethany Joy Lenz, além de outros integrantes da produção, se juntaram para dar nome ao assediador da roteirista. O grupo afirma que “o comportamento de Mark Schwahn durante as gravações de One Tree Hill era como um ‘segredo conhecido’. Muitas de nós fomos, em graus diferentes, manipuladas psicológica e emocionalmente. Mais de uma nós ainda está em tratamento de estresse pós-traumático. Muitas de nós fomos colocadas em situações desconfortáveis e tivemos que aprender a lutar, muitas vezes fisicamente, porque ficou claro para nós que os supervisores na sala não eram os protetores que deveriam ser”.

A carta também diz que as mulheres se uniram nos bastidores para tentar criar um ambiente mais seguro, alertando as novas funcionárias sobre os casos e muitas ouviram que se tudo isso fosse divulgado na época, a série seria cancelada, deixando várias pessoas sem emprego: “Essa não é uma pressão apropriada para colocar em jovens garotas”.

“Muitas de nós ficamos em silêncio em público, mas tivemos canais de comunicação muito abertos em nosso grupo e em nossa indústria, porque queríamos que ‘One Tree Hill’ permanecesse o lugar ‘onde tudo é melhor e tudo é seguro’ para os nossos fãs; alguns dos quais disseram que a série literalmente salvou suas vidas. Mas a realidade é que nenhum espaço é seguro quando se tem um câncer escondido e contagioso. Trabalhamos para recuperar nosso poder, apreciando as boas lembranças. Mas há mais trabalho a ser feito”, conclui o texto, assinado pelas atrizes Sophia Bush, Hilarie Burton, Bethany Joy Lenz, Danneel Harris, Michaela McManus, Kate Voegele, Daphne Zuniga, India DeBeaufort, Bevin Prince, Jana Kramer, Shantel Van Santen e Allison Munn, e pela “brava equipe” Audrey Wauchope, Rachel Specter, Jane Beck, Tarin Squillante, Cristy Koebley e JoJo Stephens.

No mês passado, quando as denúncias contra Harvey Weinstein abriram as portas para trazer à tona os escândalos sexuais de Hollywood, Hilarie Burton postou em seu Instagram uma foto com a hashtag #MeToo, criada para mulheres compartilharem seus casos. Na legenda, ela escreveu: “Isso deixa uma marca”. Veja abaixo.

Após a denúncia, o canal pago E! e as produtoras Universal Cable Productions e Lionsgate Television, responsáveis pela série atual comandada por Schwahn, “The Royals”, afirmaram que estão investigando as informações cuidadosamente para verificar se o problema continua e se dizem comprometidas em criar uma ambiente seguro de trabalho.

It leaves a mark. #metoo

Uma publicação compartilhada por Hilarie Burton (@hilarieburton) em

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.