Fundadora da Legião dos Super-Heróis vai aparecer na série Supergirl

 

“Supergirl” receberá a visita de uma fundadora da Legião dos Super-Heróis. A 3ª temporada da série trará a introdução de Imra Ardeen, a Satúrnia (Saturn Girl em inglês), antigamente conhecida como Moça de Saturno.

Segundo a revista Variety, a super-heroína loira do futuro será vivida pela estrela de Bollywood Amy Jackson (“Freaky Ali”), em seu primeiro trabalho nos Estados Unidos. A atriz, que nasceu na Ilha de Man, na Grã-Bretanha, tem olhos azuis como a personagem, e apesar da pele morena ficaria bem numa peruca loira, mas não há posição oficial sobre como a personagem será retratada na série.

Satúrnia é uma das mais poderosas telepatas nascidas em Titã, uma das luas de Saturno, onde todos são telepatas no século 30. Ela acaba virando uma heroína durante um passeio, ao ouvir pensamentos de assassinos que planejavam um atentado contra o milionário R.J. Brande. Imra e outros dois passageiros do veículo espacial, Rokk Krinn (Cósmico) e Garth Ranzz (Relâmpago), agem antes que o crime aconteça e impressionam Brande, que se inspira em seu ato de heroísmo para patrocinar uma espécie de Liga da Justiça de sua época, mas com integrantes de todo o universo: a Legião dos Super-Heróis.

Primeiros heróis cults dos quadrinhos, a Legião dos Super-Heróis surgiu numa história do Superboy de 1958, escrita por Otto Binder e desenhada por Al Plastino. E fez tanto sucesso que voltou a aparecer outras vezes, até ganhar sua série própria. Seus fãs eram os que mais escreviam cartas, além de se reunir em clubes e publicar fanzines, estimulados pelos editores, que promoviam votações abertas para determinar o líder anual do grupo – o que fomentou um fenômeno geek antes de existir cultura geek. Os quadrinhos da Legião também anteciparam “Star Trek” ao apresentar uma visão utópica do futuro, em que raças de diferentes planetas conviviam sob a… Federação dos Planetas Unidos! Por curiosidade, já houve um crossover da Legião com “Star Trek” nos quadrinhos. A publicação era tão respeitada que seu escritor de mais de uma década, Paul Levitz, virou presidente da DC Comics. Com o tempo, porém, os diversos reboots da empresa bagunçaram tanto a cronologia da publicação que ela acabou perdendo o prestígio original.

Para começar, Superboy, que foi o alicerce das primeiras histórias da Legião e membro honorário do grupo, deixou de existir após a “Crise nas Infinitas Terras”. Mas a estreia clássica da Legião, em que o trio inicial de legionários viaja no tempo para conhecer o herói que os inspirou, pode seguir os passos da adaptação de Mon-El, outro herói relacionado a Superboy, que teve a premissa de sua primeira aparição nos quadrinhos expandida e transportada para o universo de “Supergirl”.

A introdução de Mon-El na temporada passada, por sinal, já potencializava a chegada da Legião. Isto porque, após seu encontro com Superboy nos quadrinhos, ele passou 10 séculos na Zona Fantasma, preservado do envenenamento por chumbo, até o legionário Brainiac-5 desenvolver uma cura para sua condição no futuro. Ao sair da Zona Fantasma, Mon-El acabou integrando a Legião.

A versão televisiva dessa história, exibida no final da 2ª temporada de “Supergirl”, mostrava o herói saindo da Terra para evitar o envenenamento, até ser misteriosamente engolido por uma misteriosa anomalia espacial e desaparecer.

Por enquanto, os produtores só confirmaram a participação de Satúrnia, mas outros legionários podem ser anunciados em breve.

Será a segunda vez que Imra Ardeen ganha carne e osso e a primeira em que pode aparecer sem cabelos loiros em toda sua história. Ela foi vivida pela loira canadense Alexz Johnson (“Premonição 3”) na 8ª temporada de série “Smallville”. Mas até quando só podia ser ouvida, sua intérprete era loira, como na série animada do Cartoon Network “Legião dos Super-Heróis” (2008), quando foi dublada pela loira Kari Wahlgren, e num episódio da animação do “Superman” dos anos 1990, dublada por Melissa Joan Hart (a “Sabrina, Aprendiz de Feiticeira”).

Vale lembrar que Supergirl também era uma legionária nos quadrinhos, que habitualmente viajava ao futuro para viver aventuras espaciais com seus amigos do século 30. Há cerca de uma década, inclusive, a revista da Legião chegou a ser rebatizada de “Supergirl and the Legion of Super-Heroes” durante 20 exemplares.

“Supergirl” retorna com capítulos inéditos em 9 de outubro nos Estados Unidos e duas semanas depois no Brasil – em 23 de outubro pelo canal pago Warner.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna